“Estou motivado com o desafio de fazer ainda mais pela comunidade”

0
562

Silair Almeida é eleito para o Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior

Eleito um dos quatro representantes para o Conselho de Brasileiros no Exterior na América do Norte/Caribe, o pastor Silair de Almeida, da Primeira Igreja Batista de Pompano Beach, pretende fortalecer a Rede de Imigrantes da Flórida para estimular o debate acerca das necessidades mais imediatas da comunidade. “Teremos um grande trabalho pela frente e precisamos de uma melhor organização para apresentar as reivindicações ao governo federal”, explicou Silair, destacando que na Europa os brasileiros estão mais estruturados.

Ele está motivado para dar prosseguimento ao que faz há cerca de duas décadas na região, ou seja, servir ao próximo. Silair espera que o Conselho não seja apenas uma letra morta, fruto de um sonho do governo que está chegando ao fim, mas que de fato possa funcionar como um canal entre o Itamaraty e os mais de três milhões de brasileiros que vivem fora do Brasil. “Esta é uma grande conquista da comunidade e a chance não pode ser desperdiçada. O Conselho não se tornará um presépio”, assinalou. Para tanto, ele espera uma participação efetiva dos emigrantes, especialmente aqui no Sul da Flórida, para que dias melhores estejam à frente.

Silair foi o segundo mais votado da região e o Conselho aqui terá também outras três integrantes ligados a igrejas: Fausto Rocha (Massachusetts) e Rooney Oliveira (Orlando) são líderes religiosos e Ester Sanchez (Connecticut) é filha de pastor. Mas isso, segundo Silair, não será problema. “É um bom sinal, mas pode ensejar mais cobrança do povo não-cristão. Por isso tenho a certeza de que nossas ações certamente vão atender a todos os segmentos”, enfatizou o religioso.

Ele ficou satisfeito com a expressiva participação dos eleitores em todo o mundo “foram mais de 18.500 votos registrados via Internet “e descartou os rumores e acusações de fraude no processo eleitoral: “O sistema foi de alto nível e transparente. Acho que as reclamações de quem não foi eleito são normais, mas o importante agora é a união de todos em torno desta relação com o Itamaraty”, afirmou.