EuroBank é Banco do Brasil Americas

0
1649

Banco do Brasil se tornou banco de varejo nos EUA ao adquirir o EuroBank aqui na Flórida

O Banco do Brasil está sempre onde os brasileiros estão. Nas cidades mais distantes do país, é comum ver uma agência verde e amarela, sinalizando que o banco é parceiro dos nossos cidadãos em todas as horas.

Com o crescimento da diáspora brasileira, o Banco do Brasil sentiu necessidade de estar presente nos locais para onde alguns brasileiros se mudaram. E assim foi instalando-se pelo mundo. Atualmente, tem representações em mais de 20 países de todos os continentes.

Aqui, nos Estados Unidos, o Banco do Brasil já funciona desde 1969. A agência de New York é voltada para financiamentos de grandes empresas brasileiras que queiram investir no Exterior ou para ajudar companhias que desejam entrar no mercado brasileiro a captar recursos. É o que se pode chamar de corporate. Além desta agência, há a fillial de Miami, destinada a atender indivíduos. Mas, quando se fala de indivíduos, estamos falando de brasileiros com bolsos recheados, uma vez que é necessário dispor de $250,000 para abrir uma conta bancária.

Agora, no entanto, toda a infraestrutura do Banco do Brasil, a maior instituição financeira da América Latina, está disponível para os brasileiros que vivem nos Estados Unidos, uma vez que o gigante financeiro adquiriu o EuroBank, um pequeno banco que possui três agências operando no sul da Flórida, por $6 milhões.

Este valor é irrisório quando se compara com as quantias movimentadas pelo Banco do Brasil. Com base nos dados consolildados de 2010, o BB possui um total de ativos avaliado em $466 bilhões, e o lucro líquido auferido foi de $6,7 bilhões. A base de clientes é de 52.7 milhões e o número de funcionários é superior a 110 mil.

Foco na comunidade

Apesar desses números impressionantes, o Banco do Brasil está entrando no mercado bancário de varejo, com humildade, conforme definiu Leandro Martins Alves, presidente e CEO do EuroBank. Ele esteve em visita à redação do AcheiUSA, acompanhado de Jefferson Antoniolo Hammes, vice-presidente executivo comercial do EuroBank, e de Cesar Augusto Gomes, da B2B Conteúdo.

Para que os leitores e futuros correntistas entendam: o Banco do Brasil deve continuar operando com a marca EuroBank durante cerca de seis meses, prazo pedido pelas autoridades americanas de fiscalização de operações bancárias para dar a luz verde a fim de que o banco passe a assumir sua nova identidade.

O plano inicial da instituição financeira previa a vinda para os Estados Unidos, com a bandeira BB, e paulatinamente ir crescendo de maneira orgânica em locais onde a presença da comunidade brasileira é mais expressiva. No entanto, a crise financeira pela qual passaram os Estados Unidos alterou o planejamento e os dirigentes do BB chegaram à conclusão que valia mais a pena investir na aquisição de um banco já instalado e operando no país do que sair do zero. Assim, concretizou-se a compra do EuroBank, que tem três agências: Coral Gables, Pompano Beach e Boca Raton.

Desta forma, no segundo semestre deste ano, será mais fácil identificar o nosso Banco do Brasil. Mas qual é o objetivo de abrir agências do BB aqui? A criação do Banco do Brasil Americas tem como principal foco os brasileiros, é claro. No entanto, somos um banco americano e, portanto, também estaremos abertos para atrair clientes hispânicos e americanos, explicou Alves.
Um banco para todos

Aliás, o mesmo se aplica à estrutura de funcionários. Além de Alves e Hammes, o Banco do Brasil possui mais dois vice-presidentes executivos, responsáveis pelas áreas de Produtos e Administrativa/Operacional, que são americanos. E a mentalidade dos novos administradores é exatamente aproveitar a experiência do pessoal local, por isto não houve demissões em massa dos funcionários do EuroBank. Nossa proposta é estar integrado à sociedade e darmos um atendimento diferenciado em português. Mas isto não quer dizer que não falamos outros idiomas. Nossos funcionários precisam também falar inglês e espanhol, explicou Hammes. No entanto, sempre será respeitada esta ligação com o Brasil, enfatizou.

O próprio Hammes conhece bem o mecanismo, uma vez que ele trabalhou durante cinco anos no Banco do Brasil no Japão, obviamente na região com forte presença de nipobrasileiros.

Alves se diz confiante no projeto, tanto que a projeção é a de ter 20 agências do Banco do Brasil operando nos EUA dentro de cinco anos. Neste momento, o mais importante é conhecermos a realidade dos brasileiros daqui e aprendermos quais são suas necessidades, suas preocupações, enfim, como nossa vinda para cá pode agregar valor à comunidade, além da identificação intrínseca que temos, comentou o presidente do banco.

Alguns aspectos, com certeza, serão facililtados. Operações de remessa de dinheiro entre clientes do Banco do Brasil daqui e de lá poderão ser facilitadas, depois que o sistema operacional estiver funcionando com 100% de efetividade. Isto, no entanto, não significa que fecharemos nossos locais de representação, até porque não temos condições de estar presentes em todo o país, afirmou Alves.

Também sacar dinheiro através de caixas automáticos de contas do BB lá do Brasil deve se tornar mais fácil, entretanto, isto depende ainda da sistematização bancária entre a matriz no Brasil e as filiais aqui nos EUA.

A partir de agora, porém, os brasileiros realmente terão um banco cujos funcionários realmente falam a sua língua!