Facção majoritária do Tea Party declara apoio à reforma imigratória

0
858

Líder do Tea Party Express declara apoio a uma legislação que “conserte nosso sistema imigratório alquebrado”

Sal RussoDA REDAÇÃO, COM AGÊNCIAS – O co-fundador e principal estrategista político de uma das maiores facções do Tea Party do país declarou na quarta-feira (14) o apoio à reforma imigratória, uma revelação que pode mudar o rumo do projeto de lei estancado na Câmara de maioria republicana desde o ano passado. Sal Russo, do Tea Party Express, fez a declaração num artigo intitulado “Os conservadores precisam consertar nosso sistema imigratório alquebrado”. Trata-se de um movimento ousado, que pode energizar as bases mais conservadoras do Partido Republicano na direção da reforma.

No texto, Russo, que há tempos trabalha com o partido prestando assessoria, argumenta que “os conservadores devem tomar a frente da reforma, de forma que a lei reflita os justos interesses dos Estados Unidos, e não a visão nebulosa de alguns liberais.”

Isto não significa caminhos abertos à cidadania para os indocumentados, ele alerta. Mas buscar alguma forma razoável das “11 milhões de pessoas que estão aqui ilegalmente pagarem impostos, seguirem as leis e sairem das sombras. Temos que aplicar uma lei que legalize essas pessoas, mas sem anistia. Essa lei incluiria multas, verificação de antecedentes para identificar os criminosos, a obrigatoriedade de aprender o inglês, entender a Constituição e assumir compromisso com as nossas liberdades básicas”, disse Russo.

Russo não citou diretamente a conferência parlamentar republicana (House Republican Conference) pela falta de consenso para seguir adiante numa lei de reforma imigratória integral, nem citou nominalmente nenhuma liderança do GOP (Grand Old Party – Partido Republicano) que tenha emperrado o processo.

O apoio do dirigente do Tea Party Express a uma reforma imigratória que inclua um caminho para a legalização – e também a sua sugestão de que “os conservadores têm que apropriar-se da reforma imigratória para reafirmar quem somos e tudo que faz grande este país” – surpreende a todos envolvidos no debate.

Os democratas e arivistas a favor da reforma podem usar as palavras de Russo como prova de que a maré está virando no que diz respeito ao assunto, e que é somente uma questão de tempo até que o líder do Partido Republicano na Câmara e Speaker of The House, John Boehner (R-Ohio), seja forçado a forçar o seu peso para passar uma legislação reparadora.

A posição de Russo coincide com a de gente como Thomas Donahue, presidente da influente Câmara de Comércio Americana (U.S. Chamber of Commerce), que colocou a questão em pauta na segunda-feira (12), ao declarar durante um evento que o GOP “nem precisaria se incomodar em apresentar um candidato para as eleições de 2016” se os republicanos não fizerem alguma coisa pela imigração este ano.
Por sua vez, Boehner falou durante um almoço na segunda, patrocinado por diversos grupos de negócios de San Antonio, que acreditava que a maioria dos seus colegas apoiam uma reforma imigratória mas não confiam no presidente Obama na hora de aplicar a lei.

A declaração de Russo pode manchar a pureza ideológica do Tea Party Express, que tem mantido a reputação de linha-dura em diversos assuntos. Russo tem sido criticado pelas suas profundas relações com o Partido Republicano, o que é encarado por alguns dentro do seu movimento como sendo o limite da política partidária.

Pode também levantar questões acerca do critério para as escolhas políticas, ou fazer com que candidatos apoiados pelo Tea Party Express se afastem do grupo. A organização de Russo atualmente apoia 18 candidatos republicanos para a Câmara e o Senado em 2014, e muitos deles são ferozes oponentes de qualquer esforço da Casa no sentido de aprovar uma legislação imigratória este ano.

Jeff Session, parlamentar do Alabama apoiado pelo Tea Party Express, é um dos mais contundentes opositores à reforma dentro do Senado. Chris McDaniel, outro que tem o apoio da organização, jurou à conservadora Federação pela Reforma Imigratória Americana que se oporia a qualquer legislação que proporcionasse autorização de trabalho para os imigrantes indocumentados, ou que aumentasse o número de trabalhadores legais temporários nos Estados Unidos.

Os parlamentares republicanos que buscam a reeleição para a Câmara apoiados pelo Tea Party Express – Lee Terry (Nebraska) Thomas Massie (Kentucky), Justin Amash e Kerry Bentivolio (Michigan) – já se expressaram favoráveis a medidas que reforcem a segurança nas fronteiras e que combatam a imigração ilegal antes de prosseguir para outras áreas do sistema imigratório do país.

Uma fonte familiar com as intenções de Russo ao divulgar a nova posição de sua organização com relação à reforma disse à revista Congress Quarterly que ele teria visado a Partnership for a New American Economy. A PNAE é uma coalizão que reúne “500 republicanos, democratas e independentes prefeitos e líderes de negócios em torno de objetivos voltados para o progresso, modernização e racionalização do nosso sistema imigratório.” A organização deve cumprimentar publicamente Russo pela iniciativa.