Família faz apelo no Facebook à procura do filho

0
666

João Rafael, de dois anos, está desaparecido desde o dia 24 de agosto no interior do Paraná

Joselina Reis

João RafaelForam apenas alguns minutos de distração, mas foi o suficiente para que João Rafael Kovalski, de 2 anos, desaparecesse da casa onde morava com a família no interior do Paraná. O drama da família começou no dia 24 de agosto. Sem recursos para uma investigação própria, Lorena e Lucas, os pais do garoto, começaram uma campanha no Facebook www.facebook/todosjuntosporjoaorafael) e já conseguiram denunciar o desaparecimento do filho em todo o Brasil, Estados Unidos e Europa.

Lorena Kovalski conta que a família e amigos fizeram uma busca em toda a região, incluindo em um rio próximo da casa, mas nada foi encontrado, o que levou a polícia a suspeitar de sequestro internacional de crianças. Dados mais recentes divulgados pela Associação Brasileira de Busca e Defesa de Crianças Desaparecidas (ABCD) mostram que mais de sete mil pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, estão desaparecidos no Brasil, sendo que 23 no Paraná.

Tanto a associação, organizada por mães que buscam seus filhos desaparecidos, quanto o governo federal brasileiro através da Secretaria de Direitos Humanos, não tem dados atualizados. No Paraná, os dados mais recentes são de 2011.
João Rafael

De acordo com a mãe, as possibilidades de João Rafael ter ido sozinho até o rio são mínimas já que ele ainda anda com dificuldades e precisaria atravessar uma área de difícil acesso. “Ele não teria como chegar lá em tão pouco tempo, sem cair pelo caminho e se machucar”, acredita.

Lucas Kovalski acredita que a polícia já tenha pistas, mas para não atrapalhar as investigações a família não é informada dos detalhes. “Depois do que aconteceu com a gente ficamos sabendo que isso ocorre no Paraná, e em casos envolvendo crianças pequenas a primeira suspeita é de tráfico internacional de crianças”, revela.

A família lembra que eram onze da manhã quando o menino que brincava no quintal da casa dos avós decidiu ir procurar a mãe. As duas casas dividem o mesmo muro e João, assim como sua irmã gêmea e dois outros irmãos são acostumados a transitar entre os dois quintais, mas o garoto nunca chegou à casa dos pais. A família mora na zona rural de Adrianópolis, a 130 quilômetros de Curitiba. O caso aconteceu cinco dias antes do menino e sua irmã gêmea completarem dois anos.

Lorena e o marido também estão preparando uma passeata na cidade de São Paulo no dia 12 de outubro (sábado) “Dia das Crianças” para lembrar as autoridades brasileiras de que as buscam por João Rafael devem continuar. Outras mães que passam pelo mesmo drama no Brasil também estão participando na página criada no Facebook e contando suas histórias.