Histórico

Famílias de vítimas do vôo 1907 vão à Justiça americana por indenizações

Vinte ações de familiares de vítimas do vôo 1907 da Gol foram ajuizadas na Justiça Federal na Flórida (EUA) na semana passada. O objetivo dos processos é responsabilizar pelo acidente –o maior da aviação brasileira– os pilotos americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, que estavam no comando do jato Legacy que colidiu com o avião da Gol, há seis meses. Na queda, os 154 ocupantes do Boeing morreram.

As vinte ações representam parte das famílias que contrataram o escritório Podhurst Orseck, especializado em processos envolvendo acidentes aéreos. A ação pode resultar em indenização de mais de US$ 100 milhões às famílias, considerando apenas o seguro que a ExcelAire havia feito.

Se as indenizações forem definidas acima deste valor, os réus –incluindo os pilotos– devem pagar a diferença. Segundo Ricardo Martínez-Cid, advogado que apresentou as ações, a lei americana não prevê prisão em casos como este, porque não se trata de uma ação criminal.

Outras ações haviam sido iniciadas em Nova York por outro escritório, mas de acordo com Martínez-Cid, as leis da Flórida são mais favoráveis às vítimas. “Na Flórida a definição de dano é mais precisa, e lei é mais favorável à vítima”, disse.

O tamanho da comunidade brasileira na Flórida também pode fazer a opção pelo Estado melhor para as vítimas. Martínez-Cid diz acreditar que, por isso, o júri pode se tornar mais sensível ao caso.

Para o advogados, o acidente foi causado por uma seqüência de erros, por isso são vários os réus. Além dos pilotos, também estão sendo responsabilizados a ExcelAire, dona do avião e patroa dos pilotos, a Honeywell, fabricante do transponder –equipamento de segurança do jato–, a Embraer, fabricante do Legacy, e a Raytheon, responsável pela implantação dos radares na Amazônia.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com os advogados dos pilotos.

Acidente

O Boeing 737/800 da Gol que realizava o vôo caiu no norte de Mato Grosso depois de ser atingido pelo Legacy, em 29 de setembro último. Todas as 154 pessoas –148 passageiros e quatro tripulantes– que estavam no avião morreram.

Os sete ocupantes do Legacy sobreviveram depois de o avião pousar em uma base militar na serra do Cachimbo (PA).

Baixe nosso aplicativo