Filha de brasileiros vence concurso em Pompano Beach

0
638

Gabriele Silva concorreu com crianças de cinco classes; prefeito Lamar Fisher entregou o prêmio aos vencedores de todas as categorias

Joselina Reis

Desenho premiado de autoria de Gabriele
Desenho premiado de autoria de Gabriele / Gabriele Silva

Com apenas 10 anos de idade, Gabriele Silva, já sabe como economizar água. “Eu fecho a torneira quando estou escovando os dentes”, revela. Foi com essa ideia que ela acabou ganhando um concurso na cidade de Pompano Beach sobre o uso correto da água.

A mãe, a brasileira Lívia Caetano, conta que não sabia do concurso e nem percebeu quando a filha trabalhava em casa no desenho premiado. “Não fiquei sabendo de nada. Um dia a escola ligou e disse que o trabalho dela tinha sido escolhido. Fiquei muito emocionada”, conta a mãe que trabalha como cabeleireira.

Gabriela diz que um dos seus hobbies é desenhar apenas observando as figuras. Para completar o desenho premiado, ela levou três dias. A mãe disse que investe no que a filha gosta. “Ela tem tudo o que precisa para desenhar. Não deixo faltar”, revela orgulhosa.

Gabriele e outras crianças da McNab Elementary School foram atraídas pela possibilidade de participar de um encontro formal com o prefeito, Lamar Fisher, um certificado e um cartão presente de $20. No caso da filha da brasileira, ela usou o dinheiro para complementar um outro cartão presente que ganhou da família e finalmente adquiriu seu Ipod.

O Concurso de Cartazes sobre a Conservação da Água (Dropsavers-Water Conservation Poster Contest- nome em inglês) é feito anualmente em outras áreas do condado. Segundo a coordenadora do Departamento de Uso e Conservação da Água de Pompano Beach (Reuse & Water Conservation Departament – nome em inglês), Isabella Slagle, esse foi o primeiro ano que escolas da cidade foram convidadas a participar. “O objetivo é promover a conscientização dos alunos sobre o uso racional da água”, comentou.

Para ganhar o concurso da escola, Gabriele teve que concorrer com alunos do pré-escolar (Kindergarten-nome em inglês) até a quinta série. “Eu fiz o desenho porque gosto de artes”, conta a garota que nasceu na Flórida, mas mantém o português com a família e visitas ao Brasil.

Agora que teve o talento reconhecido Gabriele já se inscreveu em outro concurso sobre barcos. Ela também não pretende parar por aí, entre seus hobbies estão a ginástica e o estudo de formas geométricas de prédios. “Quando crescer quero trabalhar desenhando prédios”, planeja.