Histórico

Grã-Bretanha mantém alerta máximo de terrorismo

Suspeitos de armarem o atentado presos pertencem à comunidade muçulmana que vive na Inglaterra

A Grã-Bretanha continua em alerta máximo de segurança, com a polícia tentando localizar outros suspeitos de envolvimento com o plano para explodir aviões que seguiriam aos Estados Unidos, frustrado nesta quinta-feira (10).

A situação nos aeroportos do país, após as cenas de caos da quinta-feira, está melhorando gradualmente, mas muitos vôos ainda estão sendo cancelados.

Os nomes de 19 dos 24 suspeitos presos em conexão com o plano terrorista foram divulgados nesta sexta-feira pelas autoridades. Seus ativos financeiros foram congelados.

Reportagens publicadas na imprensa britânica informam que todos são muçulmanos e a maioria nascida em solo britânico. Entre eles há um funcionário do setor de segurança do aeroporto de Heathrow e um químico.

Ainda não está claro quantos suspeitos de pertencerem ao grupo ainda estariam em liberdade, mas fontes do governo norte-americano afirmaram que cinco pessoas estariam sendo procuradas.

A Scotland Yard não está fornecendo mais detalhes para evitar que suas investigações sejam atrapalhadas. Mas segundo analistas o fato de o país continuar em estado de alerta máximo indica que a polícia não descarta a possibilidade de que ainda sejam realizados ataques.

Também ainda não foi esclarecido se os líderes do suposto atentado estão entre as pessoas que já foram presas ou ainda não foram localizados.

Emissoras de televisão britânica afirmaram que a decisão de se desencadear a operação policial ontem partiu de informações obtidas pelas forças de segurança do Paquistão.

Uma ligação dos suspeitos com a rede extremista Al-Qaeda é cogitada pela polícia como muito provável, mas, por enquanto, apenas nos bastidores.

Nos aeroportos ainda há alguma confusão, com dezenas de vôos cancelados ou atrasados. Além disso, as novas medidas de segurança que proíbem o porte de bagagem de mão continua gerando filas e transtornos aos passageiros.

Mas a situação é melhor do que ontem, quando, nas primeiras horas após o início da operação policial, os aeroportos do país, principalmente o maior deles, o de Heathrow, nos arredores de Londres, viveram cenas de caos.

A companhia British Airways informou que cerca de 40% de seus vôos de curta distância e 25% de longa distância previstos para hoje foram cancelados. Outras companhias aéreas, como a Easyjet, também continuam com suas operações reduzidas.

Com exceção dos aeroportos, o clima na Grã-Bretanha é de tranqüilidade. Mas é crescente o debate público sobre o crescente clima de desconfiança e isolamento em torno da enorme comunidade muçulmana do país.

Baixe nosso aplicativo