Guerra fria, novamente?

0
789

Prisão por espionagem de cidadãos russos nos Estados Unidos afeta relação dos dois países e pode colocar por terra reaproximação busca por Obama e Medvedev

O governo russo aguarda explicações da Casa Branca sobre a prisão de 10 de seus cidadãos em território americano acusadas de espionagem. O ministro de Relações Exteriores do país europeu, Sergei Lavrov, disse que a atitude dos Estados Unidos é injustificada, já que dias antes os presidentes das duas nações – Barack Obama e Dmitri Medvedev – terem anunciado uma “nova fase na relação entre EUA e Rússia”.
“Eles não nos explicaram do que se trata, mas tudo me parece fruto da imaginação e do espírito das histórias de espionagem da Guerra Fria”, afirmou Lavrov, reiterando que as acusações não têm fundamento. As pessoas foram presas aconteceram nos estados de New York, New Jersey, Massachusetts e Virgínia. Os detidos podem ser processados por conspiração e lavagem de dinheiro, com pena de até cinco anos de prisão.
O fato deixou indignadas algumas autoridades russas. O deputado Vladimir Kolesnikov, por exemplo, acredita que as detenções ocorreram num momento de reaproximação dos dois países e isso pode significar que existem setores nos EUA contrários ao bom relacionamento. “São pessoas marcadas pelo legado da Guerra Fria”, sintetizou. Por sua vez, o vice-presidente da câmara alta do Parlamento russo, Alexander Torshin, tentou colocar panos quentes na questão: “Estou certo de que esse incidente não vai se desenvolver em um escândalo de espionagem de larga escala”, enfatizou. O assunto pode vir à tona numa reunião – que já estava agendada antes mesmo do ocorrido – entre o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, e o ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, em Moscou.
A notícia da prisão dos russos caiu como uma bomba na vizinhança onde alguns deles moravam. Em Montclair (NJ), por exemplo, dois dos acusados levavam vida pacata, mas o FBI (a polícia federal americana) acha que eles inclusive usavam nomes falsos – Richard and Cynthia Murphy. “Não é possível, eles são pessoas muito amáveis e simples”, disse uma vizinha do casal.