Henry Sobel pede afastamento de congregação após prisão nos EUA

0
618

O rabino Henry Sobel pediu na quinta-feira afastamento da presidência da Congregação Israelita Paulista (CIP), horas depois da divulgação de notícias de que teria sido preso na última sexta-feira em Palm Beach, na Flórida, ao roubar gravatas de grife em uma loja local.

“Jamais tive a intenção de furtar qualquer objeto em toda minha vida”, disse o rabino em uma nota divulgada pela CIP. “Pessoalmente estou habituado a enfrentar crises e acusações de que posso me defender. Só não posso admitir que tentem desqualificar os valores morais que sempre defendi.”

A congregação, por sua vez, se disse em outra nota “consternada e preocupada” com as notícias e que havia recebido e aceito seu pedido de afastamento.

“O rabino Sobel está há mais de 35 anos na CIP atuando como líder comunitário, tendo prestado ao longo destes anos serviços relevantes à sociedade como um todo”, disse a entidade.

“A CIP, com todo respeito e consideração que tem pelo rabino, aceitou seu pedido colocando-se à disposição para ajudá-lo no que for necessário.”

A informação da prisão de Sobel foi divulgada na quinta-feira pela polícia de Palm Beach, onde a ocorrência foi registrada depois que um funcionário numa loja da grife Louis Vouitton telefonou para a polícia para relatar a “atividade suspeita” de um cliente.

Uma câmera de segurança da loja teria registrado Sobel pegando uma gravata, dobrando-a e saindo da loja com as mãos livres, indicou o Departamento Policial da cidade de Palm Beach em comunicado.

Quando abordado por um policial na Worth Avenue, Sobel disse: “Eu não peguei nada”, e negou ter estado na loja.

Depois que os policiais contaram que ele tinha sido filmado, o rabino ofereceu dinheiro para pagar pela gravata, mas finalmente acabou confessando o crime.

“Ele foi preso pela polícia de Palm Beach e solto depois de pagar uma fiança de 3.000 dólares”, disse um porta voz da delegacia por telefone.

Depois de confessar, Sobel permitiu que a polícia revistasse seu carro, onde quatro gravatas das marcas Louis Vouitton, Giorgio’s, Gucci e Giorgio Armani foram encontradas, disse a polícia.

Juntas elas valiam 680 dólares, disse a porta-voz da polícia Janet Kinsella, em nota à imprensa.