Hillary Clinton é oficialmente candidata à presidência dos Estados Unidos

0
573

Os outros três políticos que já confirmaram que concorrerão são os republicanos Marco Rubio, da Flórida, Rand Paul, senador pelo Kentucky, e Ted Cruz, senador pelo Texas. Hillary é a primeira democrata a confirmar candidatura à sucessão de Obama

Hillary Clinton anunciou que quer ser a presidente dos EUA

DA REDAÇÃO (com UOL) – Hillary Rodham Clinton, senadora por New York, ex-primeira-dama e ex-secretária de Estado, confirmou sua candidatura à presidência dos Estados Unidos, no domingo (12). Ela vai tentar obter a indicação no Partido Democrata, confirmou um de seus altos conselheiros, encerrando dois anos de especulações e desmentidos. O anúncio veio em e-mails de John Podesta, o chefe de campanha de Clinton, enviado a doadores e outros. Se eleita, Clinton será a primeira mulher a assumir a Presidência do país. A mulher do ex-presidente Bill Clinton entra na disputa presidencial em uma forte posição para suceder seu rival na campanha de 2008, o atual presidente Barack Obama.

Hillary Clinton também lançou sua campanha em um vídeo divulgado pelo site hillaryclinton.com. “Sou candidata à presidência”, declarou Hillary Clinton, confirmando uma pré-candidatura aguardada há meses. Por enquanto, ela é a única candidata oficial nas primárias do Partido Democrata e é a favorita das pesquisas. Um levantamento encomendado pela emissora “CNN” em 18 de março, indica Hillary com 62% das intenções de votos.

A mensagem da candidata irá se concentrar no fortalecimento da segurança econômica para a classe média e em expandir as oportunidades para as famílias trabalhadoras.  A estratégia de Clinton tem paralelos com a abordagem de Obama em 2012, segundo dois assessores. Ele focou sua reeleição na classe média. Clinton terá de enfrentar a pressão da ala progressista do seu partido a adotar uma mensagem econômica populista mais focada em desigualdade de renda. Alguns liberais continuam céticos em relação aos estreitos laços de Clinton com os doadores de Wall Street e as políticas econômicas centristas do governo de seu marido. Eles pediram a ela para voltar com as regulações financeiras mais duras e o aumento de impostos sobre os ricos.

Republicanos
O senador de origem latina Marco Rubio confirmou também esta semana sua candidatura à indicação do Partido Republicano para a corrida à Casa Branca em 2016. Filho de imigrantes cubanos, o senador pela Flórida, de 43 anos, oficializou sua candidatura à indicação republicana às 18H00 locais (19h00 de Brasília) em um ato em Miami, no qual pediu uma nova liderança que não esteja “ancorada no século XX”.

“Chegou a hora da nossa geração abrir o caminho para um novo século” nos Estados Unidos, disse Rubio para cerca de mil partidários reunidos na simbólica Torre da Liberdade em Miami, prédio onde os refugiados do regime de Fidel Castro foram processados entre 1962 e 1974.

Ele afirmou à emissora ABC News sentir que é o candidato mais qualificado para chefiar a Casa Branca, apesar de Hillary e Bush terem mais experiência política.

“Eu penso que o século XXI pode ser o século americano, e eu acredito que eu posso liderar este país nesta direção”, afirmou Rubio. Eleito ao Senado em 2010 na onda do movimento ultraconservador Tea Party, Rubio teve uma ascensão política meteórica, o que o tornou favorito de certos setores republicanos, embora nas pesquisas esteja atrás de outros candidatos do partido mais conhecidos, como Bush.
Se eleito, se tornará o primeiro presidente de origem latina nos Estados Unidos.

Adversários republicanos Antes de Rubio, já confirmaram suas candidaturas para a indicação republicana seus colegas no Senado Ted Cruz, do Texas, também de origem cubana, e Rand Paul, do Kentucky, herdeiro da ideologia libertária, uma corrente conservadora que defende um Estado mínimo e máximas liberdades individuais.