ICE deporta americano por engano

0
768

Luis Alberto Delgado nasceu no Texas, mas demorou 85 dias para provar sua cidadania americana

O pesadelo de Luis Alberto Delgado chegou ao fim, três meses após sua deportação dos Estados Unidos. O jovem de 19 anos está de volta à sua casa, em Houston (Texas), depois do drama de ser parado numa infração de trânsito e de ter sido confundido com um indocumentado, pois não fala bem o idioma inglês. Ele agora quer processar o governo americano pelo que chamou de “injustiça”.
Delgado foi detido em junho e, após oito horas sendo questionado sobre sua nacionalidade, acabou sendo deportado para o México, país onde foi criado depois do divórcio dos pais. Nem mesmo a certidão de nascimento e o cartão do seguro social foram suficientes para provar às autoridades que ele é um americano. Delgado disse que assinou os papéis de deportação porque não aguentava mais a pressão no centro de detenção. “Fui discriminado só porque não falo inglês”, disse o rapaz, que perdeu o emprego na construção depois de tantos 85 dias de ausência.
Segundo Isaias Torres, o advogado que está defendendo Delgado no processo de danos morais, os agentes foram, no mínimo, “negligentes” e que o ocorrido não é um fato isolado. Realmente, há poucos anos, a imprensa deu grande destaque ao caso de um americano com necessidades especiais que ficou meses perdido no México, depois de ser deportado sem razão. Torres acredita que o número de ocorrências semelhantes vai aumentar: “O país está deportando indocumentados e seus filhos americanos”, afirmou o advogado. Entre 1998 e 2007, o ICE expulsou do País mais de 108 mil pessoas nessa situação.