Imigração decidirá o voto latino, revelou pesquisa

0
690

A tendência mostrada na pesquisa Univision Noticias, ABC e Latino Decisions reflete uma coesão nas preocupações desta minoria

A dez meses das eleições presidenciais, marcada para a primeira terça-feira de novembro, os temas imigratórios se impõem como o assunto de maior relevância para os votantes latinos dos Estados Unidos, segundo revela a mais recente pesquisa nacional realizada em conjunto por Univision Noticias, ABC e Latino Decisions.

Em relação à pergunta: “Geralmente falando, quais são os assuntos mais importantes que, em sua opinião, o Congresso e o presidente deveriam tratar no que se refere à comunidade latina?, 46 por cento dos entrevistados responderam “Reforma Imigratória/Dream Act”, muito acima do 35 por cento que apontaram “Criar mais trabalho/ Lutar contra o Desemprego”.

O Dream Act mantém uma intensa popularidade no âmbito nacional; 85 por cento dos latinos registrados para votar apoiam a iniciativa. A porcentagem de respaldo na Flórida é de 78 por cento.

A tendência mostrada na pesquisa Univision Noticias, ABC e Latino Decisions reflete uma coesão nas preocupações da primeira minoria do país contra as vozes mais suspeitas a respeito.

Em um artigo de 9 de janeiro na revista New Yorker, por exemplo, o senador e possível candidato à vice-presidência Marco Rubio (republicano da Flórida) afirmou ser “absurda” a ideia de que a imigração é o único assunto que importa aos hispânicos”.

Os números da pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 25 de janeiro, demonstram que, embora este não seja o único assunto na mente do eleitorado latino, é aquele que mais importa.

No caso de Rubio ser finalmente indicado pelo Partido Republicano como candidato a vice-presidente, 47 por cento disseram que este fato “Não teria efeito” em sua decisão de voto. Cerca de 25 por cento confessaram que a indicação de Rubio os ‘inclinaria ou lhes faria estar mais dispostos” a votar pelo Partido Republicano. No caso da Flórida, 43 por cento falaram estar “mais dispostos” e 31 por cento disseam que “Não teria efeito”.

Rubio popular

No entanto, Rubio mantém sua alta popularidade na Flórida, diante da constante impopularidade do governador Rick Scott, com 45 por cento de reprovação.

Uma das perguntas incluiu uma citação direta de um candidato presidencial na qual descreve o Dream Act como “um folheto que recompensa a atividade criminal dos ilegais con benefícios especiais. Se o Congresso aprovar o Dream Act, eu o vetarei”. Esta postura obteve 54 por cento de “Menos probabilidades de apoiar” o tal candidato.

Pelo contrário, outra frase de campanha em apoio ai Dream Act (“Não deveríamos penalizar as crianças imigrantes que vieram a este país ilegalmente. O Dream Act é importante para dar uma oportunidade aos jovens imigrantes de ir à universidade e adquirir cidadania na América e eu aprovaria”) obteve um representativo apoio de 68 por cento de “Maior probabilidade de apoiar” tal candidato. Na Flórida, 70 por cento afirmaram estar “Mais dispostos” a apoiar este candidato, 6 por cento disseram estar “Menos dispostos” e 13 por cento disseram que isto não influiria em sua decisão.

Vale recordar que os temas de reforma imigratória incluem diversas comunidades além da latina, as quais compartilham expectativas similares diante da nova administração que for eleita.

Nos Estados Unidos vivem 11 milhões de imigrantes indocumentados (segundo dados do Pew Hispanic Center) e a maioria provém da América Latina. Nos últimos sete anos, o tema tem sido debatido sem sucesso no Congresso por falta de um acordo bipartidário prévio que garantisse os votos necessários nas duas câmaras.

Para ser aprovada uma reforma imigratória que inclua um caminho para a legalização para indocumentados (como pedem os democratas), são necessários 218 votos na Câmara de Deputados e 60 no Senado. Os democratas só têm 51 votos na Câmara Alta e os republicanos, que não apoiam nenhum caminho para a legalizaão dos indocumentados, controlam a Câmara Baixa.

Obama com vantagem

A pesquisa destaca ainda a sólida tendência do aspirante à candidatura presidencial republicana, Mitt Romney (ex-governador de Massachusetts), sobre seu rival mais próximo, Newt Gingrich (ex-presidente da Câmara de Deputados).

Se “a primária republicana fosse realizada hoje”, os pesquisados responderam que 25 por cento votariam em Romney; 16 por cento em Gingrich e somente 9 por cento apoiariam o médico Ron Paul, deixando na rabeira Rick Santorum com 4 por cento.

Com a eleição se tornando mais definida, a pesquisa Univision Noticias, ABC e Latino Decisions propôs dois cenários: Romney contra Barack Obama e Gingrich contra Barack Obama. Em ambos os casos, Obama saiu vencedor, sendo sua vitória mais contundente sobre Gingrich (70 por cento contra 22 por cento) do que sobre Romney (67 por cento contra 25 por cento deste último).