Imigrante em matrimônio gay poderá solicitar o green card

0
577

Um estudante búlgaro e seu marido americano constituem-se no primeiro casal homossexual da nação a ter aprovada seu pedido de residência permanente depois que a Corte Suprema decidiu sobre os casamentos de pessoas do mesmo sexo.
Mas Traian Popov, que está no país com visto de estudante, não poderá trabalhar nem visitar sua família durante pelo menos outros seis meses enquanto se processa o green card.

“É incrível como isto te impacta”, disse Marsh à The Associated Press. “Fazem com que você se sinta cada vez mais como um cidadão de segunda classe e que não te querem. É assim como me sinto na Flórida”, comentou o morador de Fort Lauderdale.

Dois dias depois de a Corte Suprema revogar uma disposição de uma lei federal que negava benefícios federais aos parceiros casados do mesmo sexo, Marsh e Popov foram notificados na sexta-feira (28) que seu pedido de residência havia sido aprovado pela imigração.

O Departamento de Segurança Nacional não pôde confirmar imediatamente na segunda-feira (1) se este é o primeiro caso. Mas o advogado do casal, Lavi Soloway, do Projeto DOMA (que procura deter as deportações e separações de casais gay causadas pela Lei de Defesa do Casamento), disse que sua organização apresentou cerca de cem pedidos de green card para casais do mesmo sexo desde 2010 e espera que haja mais aprovações nos próximos dias.

Marsh e Popov tiveram de se casar em outro estado porque os votantes da Flórida aprovaram em 2008 uma emenda constitucional que proibiu os casamentos de casais do mesmo sexo, e exigirá a aprovação de 60% dos eleitores para revogá-la se voltar a ser posta em votação.