Imigrantes pressionam por legalização

0
462

Confirmadas as manifestações em Washington DC logo após a posse

Dois dias depois que um grupo de ativistas pró-imigração se reuniu com membros da equipe de transição do presidente eleito, Barack Obama, para enfatizar a necessidade de uma reforma imigratória justa, líderes religiosos confirmaram a marcha em favor dos indocumentados no dia 21 de janeiro. A manifestação, que vai atravessar as principais ruas de Washington DC um dia após a posse do novo líder americano, tem o principal objetivo de chamar a atenção do governo sobre o problemas causados pelas operações promovidas pelo Immigrations and Customs Enforcement (ICE). “Queremos o fim destas ações policiais e somente isso será o suficiente para manter unidas as famílias dos imigrantes”, disse o pastor Whit Hutchinson, de uma igreja metodista na capital americana.

Segundo o religioso, Obama poderia, já no primeiro dia no cargo, emitir uma ordem executiva que ponha fim às deportações: só no ano fiscal de 2008, mais de 720 mil imigrantes foram detidos, resultando em 350 mil deportações; além disso, houve quase duas mil operações do ICE no mesmo período, não apenas em locais de trabalho, mas também em residências, terminais aéreos e até supermercados. “O procedimento jurídico é simples e pode ser adotado até na cerimônia de posse”, afirmou o pastor. “A Igreja não ficará calada “, assinalou o também reverendo Gabriel Salguero.

As principais entidades defensoras dos direitos dos imigrantes nos EUA, entre elas o Conselho La Raza, a maior rede de latinos na América, estão insistindo para que Obama tome uma providência imediata com relação às operações do ICE, até porque esta foi uma das promessas de campanha. Vários ativistas têm enviado cartas para o presidente eleito, numa campanha nacional, con o pedido explícito: que ele possa mobilizar o congresso em torno da reforma.

Outro grupo está gravando em vídeo os depoimentos de cidadãos e residentes legais que possuem parentes e amigos indocumentados. “Através do drama destas famílias queremos mostrar que o sistema de imigração é falho”, explicou Melissa Mark-Viverito, autora da idéia. O material será enviado aos congressistas, com a lembrança de que nos últimos quatro anos houve um aumento de 40% nos incidentes racistas contra latinos. “Esse clima antiimigrante tem que acabar”, enfatizou.