Iniciativa pioneira ajuda brasileiros

0
693

Cartões de apoio com telefones de líderes da comunidade vão servir de ferramenta para comunicação com as autoridades do condado de Broward, mas não substituem carteira de motorista

Os brasileiros em Broward ganharam uma ferramenta de ajuda para situações de dificuldade como, por exemplo, no caso de serem interpelados por um policial e não conseguirem se expressar em inglês ou mesmo serem flagrados dirigindo sem carteira de motorista. A delegacia do condado (o Broward Sheriff’s Office) lançou, num convênio inédito com o Centro Comunitário Brasileiro, um cartão de apoio com o telefone de 10 líderes da comunidade que podem ser acionados nessas eventualidades, 24 horas por dia e sete dias na semana. A medida é inédita na nossa região e pode ser estendida até a outros imigrantes.

“Não se trata de um documento de identificação, mas sim um instrumento que pode auxiliar na interação com os policiais de Broward”, esclareceu Paulo Schneider, do Centro Comunitário Brasileiro, durante a apresentação do cartão. Segundo ele, a iniciativa nasceu das conversas entre as lideranças e o sheriff de Broward, Al Lamberti, e representa um primeiro passo de uma melhor convivência entre as autoridades e a nossa comunidade.

Presente à reunião, o comandante da corporação, Michael Calderim, destacou a parceria entre o BSO e os brasileiros e lembrou que a iniciativa tem várias finalidades: “É uma via de mão dupla, pois além de ajudar as pessoas nos momentos de dificuldade, o cartão traz ainda o número do Crime Stoppers, para que a comunidade informe quaisquer atividades ilícitas, ocorrências suspeitas ou mesmo maltratos por parte dos policiais”, explicou Calderim, acompanhado dos capitães Careccia (Margate) e Wener (Pompano Beach). Ele aproveitou para ressaltar a importância de os imigrantes em situação irregular levarem sempre um documento com fotografia.

Para Urbano Santos, do Centro Comunitário, o cartão é uma vitória de todos os brasileiros.”As autoridades vão nos ver com outros olhos. A nossa comunidade é formada por trabalhadores e merece ser tratada com mais dignidade”, disse. Já o pastor Leidmar Lopes, que é um dos contatos do cartão, alertou aos brasileiros para que não tentem enganar os policiais quando forem parados para averiguação ou em uma blitz: “Eles já têm as informações nos registros e não cabe o jeitinho brasileiro nessa situação”, alertou o pastor. Quem quiser obter um dos cartões pode procurar o Centro Comunitário, no número 1001 da East Sample Road, loja E7. Detalhes pelo telefone (954) 942-6449.
A seguir, a lista de nomes e telefones que podem ser acionados em caso de problema:

Ivanete De Sousa (954) 854-9123, membro do Centro Comunitário
Nádia White (954) 708-8337, ativista
Rodrigo Silva (954) 861-8294, membro do Angels of Hope
Nanci Amaral (786) 277-4196, ativista
Carlos Patente (754) 367-4011, pastor
Leila Lawson (954) 865-2527, ativista
Leidmar Lopes (954) 878-1753, pastor
Nestor Sigismondi (954) 588-7418, membro do Centro Comunitário
Silair Almeida (954) 691-5633, pastor
Maria Barbalho (954) 990-4556, ativista.