Irmão de brasileiro morto no México faz contato com a família em SC

0
1993

Catarinense foi encontrado morto em Cancun domingo (11). Irmão estava desaparecido desde então

FACEBOOK
“Dealberto

Dealberto Jorge Silva, 35, encontrado morto no México

DA REDAÇÃO COM UOL – O empresário catarinense Fernando Silva, de 33 anos, que estava desaparecido desde domingo (11), está vivo. Segundo parentes e amigos, ele telefonou para a família em Jaraguá do Sul (SC) na tarde desta segunda-feira (12). Ele disse aos familiares que ainda estava escondido de pessoas que supostamente teriam sido responsáveis pela morte do irmão, o engenheiro Dealberto Jorge Silva, 35, encontrado morto no México no domingo (11).

Fernando não disse onde estava nem quem o ameaça, mantendo o mistério que dura desde que o irmão foi achado morto. Na ocasião, um primo dele disse que ele caiu ou foi jogado do 12º andar de um hotel em Playa del Carmen, próximo a Cancún. Eles estavam na cidade para um casamento.

Entretanto, a polícia mexicana informou que ele estava em outro local quando foi encontrado. Na versão oficial, Dealberto estava numa festa privada, num condomínio residencial no centro de Playa del Carmen. Testemunhas o teriam visto embriagado, caminhando na mureta de uma sacada –de onde teria caído da altura de 13 metros para o solo, sofrendo traumatismo craniano.

Ele foi encontrado pouco depois da meia-noite de domingo pela Polícia Turística e recolhido pelo Semafo (Serviço Médico Forense). Só então a polícia mexicana foi ao hotel onde ele estava hospedado, o La Reina Roja, em busca de amigos para confirmar sua identidade. Quando caiu, Dealberto estava com o passaporte do irmão Fernando, o que levou a uma pequena confusão, logo desfeita pelas autoridades.

O jornal digital Diário Respuesta Quintana Roo divulgou na tarde desta segunda uma foto supostamente de Dealberto, já morto, vestido de negro, com o corpo encolhido, numa escada. Na legenda, afirma que ele teria morrido ao tentar pular de uma sacada para outra, no mesmo edifício mencionado pela polícia mexicana, supostamente “embriagado e sob influência de drogas”. Não foi possível confirmar a autenticidade da foto.

As ligações de Fernando de hoje foram curtas e confusas, mas a identidade dele foi confirmada pelos familiares. Segundo um primo que participa das conversas com o Itamaraty, a polícia mexicana ainda trabalha com a hipótese de que Fernando tenha sido sequestrado e esteja em cativeiro, portanto sem poder falar mais do que alguma fala ensaiada. O Itamaraty não tem mais informações do que aquelas repassadas pela polícia do país.

Os dois irmãos eram bem-sucedidos empresários do setor elétrico, como investidores de pequenas hidrelétricas no interior catarinense.