Jair Filho

0
734

Jair Filho se apresenta na noite da FL e inclui no repertório de Elis Regina a Jota Quest

Carlos Wesley

Você já deve ter ouvido falar de um brasileiro que está encantando a comunidade com seu show intimista no restaurante Kybom, aos sábados, não é mesmo? Pois trata-se de Jair Filho, de Governador Valadares que chegou à Flórida há cinco meses e interpreta como poucos os grandes sucessos da música popular brasileira. “Canto com prazer e isso está claro na minha performance”, diz o artista, que mora em Pompano Beach e tem 41 anos de idade.

A apresentação do mineiro realmente causa impacto. Apesar de seu aspecto franzino (magro e de estatura mediana), ele cresce no palco e usa como poucos a voz, variando de timbre de acordo com a música. E Jair sabe disso: “Gasto mesmo a voz, esta é minha forma de expressão”, confessa. Alguns dizem que ele lembra Caetano Veloso, um de seus ídolos, mas interpreta com a mesma facilidade uma canção da enérgica Ana Carolina ou uma da doce Marisa Monte. Mas sempre imprimindo o seu estilo.

Antes de vir para os Estados Unidos, há mais de dois anos, Jair já se apresentava na noite, lotando os barzinhos mineiros. Ao chegar à Boston, ele tratou de buscar o seu espaço e conseguiu formar um público fiel, que curte desde João Bosco e Elis Regina até Marisa Monte e Jota Quest: “Em resumo, tudo o que a MPB produziu de qualidade”, ressalta Jair, descartando incluir no seu repertório música sertaneja e pagode – mas há um pouco de música baiana, no final da apresentação.

A decisão de mudar para o sul da Flórida foi tomada em função do calor – não apenas o relacionado ao clima, mas especialmente ao das pessoas: “Aqui na Flórida o público é mais participativo”, des-taca o cantor. Mas que a platéia não pense que a participação no show significa sugestões de músicas: ele até atende um ou outro pedido, mas deixa claro que a condução do espetáculo está nas mãos dele.

É Jair também que cuida de detalhes da iluminação, escolhe o figurino e prepara a cenografia do palco, composta por um belo painel com motivos brasileiros, como as palmeiras e a jangada. No show do restaurante Kybom, o cantor é acompanhado do músico Noel Carlos, que toca teclado e violão. Ele está satisfeito com a repercussão do espetáculo e muita gente tem aparecido por lá em função da propaganda boca-a-boca: “A casa é boa, aconchegante e estou formando o meu público fiel aqui também”.

No Brasil, o mineiro deixou a mulher, a filha de 10 anos e uma joalheria, que está sendo admi-nistrada pelos familiares. Aqui, ele trabalha com limpeza de residências durante o dia, para ganhar o dinheiro para a sobrevivência. “Cantar é a minha paixão e estou me realizando neste particular”. Quem não agüentar até sábado para vê-lo no palco, uma su-gestão é o show que Jair fará no Café Mineiro, no dia 22 de março, na noite de frutos do mar do restaurante. Para contratá-lo para outras apresentações, o telefone é (754) 368-3100