Jogo do bicho paga por festa de magistrados

0
473

Despesas de evento do TRE ficaram por conta da Liga das Escolas de Samba, no Rio de Janeiro

É notório que os banqueiros do jogo do bicho – uma atividade ilícita – controlam a Liga Independente das Escolas de Samba. No entanto, a agremiação assumiu as despesas de uma festa do Colégio de Presidentes de Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), em agosto deste ano. O evento, que contou com visita à Cidade do Samba, show e coquetel, foi organizado a pedido do então presidente do TRE-RJ, desembargador Alberto Motta Moraes, que deixou o cargo em outubro deste ano.

Motta Moraes, por sinal, não esqueceu de agradecer aos patronos da Liga, os bicheiros Aniz Abraão David e Luizinho Drummond, pela bela festa, em mais um fato polêmico de sua gestão: o magistrado é alvo de uma investigação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sob a acusação de favorecimento e imparcialidade em suas decisões. “Não vejo problema em pedir apoio da Liga para um evento de magistrados. Fiz e faria de novo”, defendeu-se o ex-presidente do TRE.