Jovens saem às ruas pelo DREAM ACT no dia 10

0
365

Caso de colombiana ameaçada de deportação mobiliza colegas de escola e instituições de apoio aos jovens imigrantes

DA REDAÇÃO – Daniela Pelaez, 18 anos, tem um sonho: ela quer ser uma cirurgiã cardíaca. Mas o sonho de Daniela esbarrou nas leis de imigração estadunidenses. Nascida na Colômbia, formou-se em primeiro lugar na North Miami High School, com uma média excepcional, sendo escolhida a oradora da turma.

Mas Daniela e a irmã, que vivem em Miami em situação migratória irregular está com ordem de deportação e têm até o dia 28 de março para apelar da decisão.

Na sexta-feira, mais de 2.600 estudantes, professores e membros da comunidade saíram às ruas de North Miami para protestar contra a ordem, segurando cartazes e gritando “Justiça para Daniela”.

Ela percorreu no fim de semana vários programas de TV para tornar pública sua história. E se considera hoje a voz de milhares de indocumentados que não podem falar. Como ela, são estudantes, filhos de imigrantes ilegais, que sonham com a aprovação da lei chamada Dream Act, que ofereceria o greencard aos que se encontram nessa situação em troca de um curso superior ou o serviço militar. Mas o projeto está engavetado no Congresso há mais de dois anos.

O lado mais injusto na história de Daniela é que ela tem um irmão servindo no Afeganistão.

Para evitar a repetição de casos como este de Daniela, nesta sexta-feira, dia 10 de março, jovens indocumentados de todo o país saem das sombras para requerer que seja feita justiça e eles possam tornar-se pessoas que poderão contribuir para melhorar os EUA e realizar seus sonhos. Mesmo sendo indocumentados, estes jovens possuem sonhos, aspirações e, sobretudo, consideram-se americanos, uma vez que se criaram e estudaram aqui.

Para que o sonho se torne realidade, a Aliança Nacional dos Jovens Imigrantes está
convocando todos aqueles que estão nesta situação, os familiares e os que apoiam esta causa. Para saber mais sobre como participar, os interessados devem entrar na página da The National Immigrant Youth Alliance no facebook. Afinal, é chegada a hora de agir em vez de apenas lamentar.