Histórico

Líderes republicanos na Câmara propõem mais audiências sobre imigração

Insistindo nas audiências, os parlamentares republicanos mais conservadores, como Dennis Hastert, querem realizar mais 21 audiências no recesso do mês de agosto

Segurança nas fronteiras é o principal tema para os líderes republicanos na Câmara dos Deputados. Por isto, eles pretendem realizar 21 audiências sobre imigração durante o recesso de agosto, antes de reunir-se com o Senado para discutir uma compromisso legislativo.

Os líderes republicanos na Câmara de Deputados disseram ter esperanças de completar a legislação sobre imigração ainda este ano e apontaram um projeto de lei apresentado esta semana por dois parlamentares do Partido Republicano como um possível modelo para o compromisso entre as duas Casas. O projeto, apresentado pelo deputado Mike Pence, de Indiana, e pelo senador Kay Hutchinson, do Texas, exige que o presidente garanta a segurança das fronteiras antes de autorizar a adoção de um programa de trabalhador convidado.

“Antes de examinarmos outros temas de imigração, precisamos primeiro assegurar nossas fronteiras”, afirmou o presidente da Câmara de Deputados, Dennis Hastert, de Illinois, em entrevista à imprensa. “Não apoiarei qualquer programa antes de termos feitos primeiro nosso trabalho de garantir as fronterias”, completou.

O deputado John Boener, de Ohio e líder da maioria na Câmara, revelou que as audiências, realizadas em 13 estados, irão expor o que ele descreveu como “pontos polêmicos” do projeto de lei do Senado, que prega o aperto nas fronteiras e coloca a maioria dos imigrantes no caminho para a cidadania. Ele disse que os republicanos da Câmara estão mais concentrados na construção de cercas nas fronteiras e no envolvimento de policiais na execução de leis imigratórias. “Creio que estas audiências ajudarão a produzir uma solução mais responsável, apoiada pelo povo americano”, acrescentou.

Os democratas prontamente desqualificaram as audiências, descrevendo-as como uma tática para adiar as negociações com o Senado e uma maneira de mexer com as paixões dos eleitores conservadores na corrida para as eleições parlamentares programadas para novembro próximo. “Esta é uma campanha dirigida pela ala direitista do Partido Republicano e não verdadeiras audiências de consulta popular”, criticou o senador democrata Edward Keneedy, de Massachusetts, idealizador do projeto de lei de imigração do Senado. “Imigração é assunto sério e os americanos desejam que os republicanos parem de brincar de política e deixem de segurar a verdadeira reforma.”

O senador Arlen Specter, republicano da Pensilvânia, presidente do Comitê de Justiça do Senado, disse que as audiências da Câmara pouco contribuem como avanço para a legislação.

Assessores parlamentares revelaram que os legisladores da Câmara e do Senado continuam a manter reuniões privadas num esforço para se chegar a um consenso entre as duas Casas.

Enquanto isto, o presidente Bush vem incentivar os parlamentares a encontrar um entendimento.

Baixe nosso aplicativo