Linha de ajuda criada pelo governo promete apoio a imigrantes presos indevidamente

0
483

Também cobre cidadãos americanos encarcerados pelo Departamento de Segurança Nacional

O governo de Washington anunciou no final do ano passado ter disponibilizado uma linha telefônica para pessoas detidas por policiais locais por causa de problemas com a imigração que acreditam ter sido vítimas de delitos ou violação de seus direitos.

O serviço também cobre os cidadãos americanos que foram presos e no momento da detenção não puderam provar ou comprovar sua nacionalidade.

O número telefônico gratuito ou ‘linha quente’ é 1-855-448-6903 e funciona as 24 horas do dia, disse o Departamento de Segurança Nacional (DHS).

Segundo o governo, o serviço permitirá que seja preenchido um formulário (I-247) com as informações de pessoas detidas nos cárceres locais (estaduais e municipais) para saber se podem contestar um processo de deportação dos Estados Unidos.

Além do inglês, o serviço fornece informações em espanhol, vietnamita, português e chinês.

Graves denúncias de abuso A linha telefônica responde de alguma maneira às denúncias de organizações nacionais que defendem os direitos dos imigrantes e grupos de direitos civis que questionam a severa política imigratória do presidente Barack Obama.

Durante o ano fiscal 2011, o governo deportou pouco mais de 397 mil imigrantes. O DHS assegurou que a maioria dos expulsos possuía antecedentes criminais, mas as organizações defensoras dos estrangeiros sem papéis argumentam que entre seis a sete por cada 10 expulsos não tinham antecedentes que representassem uma ameaça para a segurança nacional.

Em agosto, o governo anunciou que revisaria cerca de 300 mil casos de deportação, anúncio que alguns setores qualificaram de favorável para certos imigrantes, mas não solucionava o problema de permanência legal que enfrentam 11 milhões de indocumentados, a maioria de origem latino-americana.

A disponibilização da ‘linha quente’ converte-se em um sinal por parte do governo para enfrentar, sobretudo, o problema e as preocupações dos indivíduos encarcerados por não ter papéis de permanência legal nos Estados Unidos.

A linha telefônica habilitada permitirá que pessoas detidas nos cárceres locais que afirmam ter seus direitos violados denunciem seus casos e recebam informações para reclamar seus direitos.

“Se a finalidade deste recurso for sincera, se o propósito do governo for ajudar a comunidade que tem sido agredida, é uma boa época para dar esperança às famílias que foram afetadas por deportações injustas, disse Teodoro Agiluz, diretor do Centro de Recursos Centro-americanos (Cerecen) em Houston, Texas.

Tomara que esta linha seja uma ação de boa vontade, de coração para levar um pouco de esperança às famílias imigrantes e não continuem deportando cidadãos americanos, residentes permanentes e imigrantes cujos direitos foram violados, disse.