Livro ensina português para turistas estrangeiros durante a Copa do Mundo 2014

0
1367

Autor Natanael Joaquim elaborou o livro para servir de guia tanto para brasileiros quanto para turistas se comunicarem durante os jogos

Joselina Reis

Depois de viajar do Brasil para os Estados Unidos em busca de cura para sua cegueira, e não encontrar, o paulistano Natanel Joaquim aprendeu outra coisa: falar inglês. Quando voltou para o Brasil resolveu investir em uma nova profissão, a de professor e tradutor do idioma. Hoje, mais de vinte anos depois, ele tem sua escola de idiomas e acaba de lançar mais um livro, agora voltado para os turistas que devem inundar o Brasil durante a Copa do Mundo e para os brasileiros, que querem aproveitar o ensejo e aumentar os negócios durante o período dos jogos.

O livro–Fale Inglês e Português Em Diversas Situações–Speak english and portuguese in diverses situations – publicado pela Editora Geográfica Editora, com 161 páginas, já está à venda no www.portalnj.com.br. Ele garante que o trabalho de divulgação está sendo ótimo e o próximo passo é divulgar o trabalho em outros paises. “Já tenho contatos em Angola, vou dar uma entrevista para uma TV no Tennessee, mas eu quero mesmo é chegar a New York”, conta o paulistano bem humorado que adora tirar fotos com celebridades.
Com os anos de experiência vividos nos EUA, trabalhando como ajudante de garçon e marceneiro, e depois como professor de inglês no Brasil, Natanael resolveu escolher as cinquenta situações mais comuns que poderiam ocorrer nos dois idiomas para preparar um curso rápido de português-inglês. A partir daí surgiu a ideia de criar um livro para ajudar os dois lados da moeda: os brasileiros tentando se comunicar em inglês, e os estrangeiros tentando se virar no português.

Entre as diversas situações contidas no livro, conta Natanael, estão as mais comuns que possivelmente os turistas estrangeiros que não falam português vão ter que enfrentar durante a Copa do Mundo 2014. Ele cita como exemplo as frases feitas que podem salvar o dia para o turista em aeroportos, restaurantes, compras, diversões, aluguel de carros, como chegar de ônibus aos estádios onde será os jogos e telefones úteis no Brasil. Tudo é traduzido em inglês, português e ainda vêm com a pronúncia. “O livro tem situações que você vai viver o dia a dia, até como chamar a polícia e como ir ao hospital. Incluí várias formas de perguntar a qualquer coisa”, relata o brasileiro que não gosta de falar a idade, “pode dizer que estou na idade do lobo”.

História
Com apenas 10% da visão, Natanael não se intimida perante os obstáculos. Ele contratiu toxoplasmose quando ainda era criança e ao passar dos anos foi perdendo a visão. A história do menino pobre que vendia coxinha para ajudar mãe a alimentar os seis irmãos virou seu primeiro livro–No Pain, No Gain – Sem Sacrífico Não Se Alcança Nada–e assunto para palestras motivacionais.

Ele conta que quando soube que haveria a possibilidade de cura da doença nos EUA, ele se inscreveu em uma gincana de um programa de TV para conseguir o dinheiro da passagem. Ele venceu, viajou, mas a resposta dos médicos não era o que ele esperava e acabou ficando três anos EUA.

Quando voltou, estava decidido a aceitar a cegueira e ajudar outros na mesma situação. Natanael criou um coral, onde todos os integrantes são deficientes visuais.

Mais sobre o trabalho assistencial do brasileiro pelo website www.visaodobem.com. br. Como ele diz que não pára, o próximo projeto é conseguir convencer o cantor americano Stevie Wonder a cantar com o coral.