Livro quer levar pratos brasileiros para as mesas no mundo

0
523

Renomado Alex Atala quer mostrar para o mundo e para os próprios brasileiros que o Brasil tem muitas iguarias para oferecer

Alex Atala
O chef brasileiro Alex Atala

Da Redação – Não só de arroz e feijão vive a cozinha brasileira. “Nós somos tão orgulhosos do nosso futebol, modelos e música, porque não da nossa culinária”, argumentou conhecido chef Alex Atala que escreveu o livro “D.O.M.: Redescobrindo os ingredientes brasileiros”.

Segundo ele, o objetivo é mostrar as iguarias que nem mesmo a maioria dos brasileiros sabem para o mundo e, com isso, alimentar a curiosidade dos estrangeiros quanto à culinária brasileira. “Eu diria que os brasileiros não conhecem 50% desses ingredientes. E eles também não podem ser comprados em qualquer supermercado. Mas a ideia é alimentar a curiosidade”, conta ele citando que um dos ingredientes é o pó de formiga.

O livro está sendo chamado pela critica como ‘suntuoso’. Atala acredita que a variedade e singularidade dos pratos vão fazer com que estrangeiros finalmente ‘acordem’ para a cozinha brasileira e também elevar o nível o nome da culinária do país.

Atala afirma que entende o espanto dos curiosos ao ouvirem sobre os ingredientes que escolheu para compor os pratos. Alguns deles não estão disponíveis nem mesmo no Brasil, muito menos em países alvo do projeto de Atala, como Estados Unidos, Austrália e Reino Unido. “Não importa. A ideia principal não era fazer as pessoas reproduzirem as receitas, era provocar as pessoas a querer saborear o Brasil”, revela.

Para começar, os amantes do arroz com feijão, feijoada e churrasco não vão encontrar nada parecido no livro de Atala. O livro traz surpresas bizarras como o uso do caracol marinho, que Atala garante que é saboroso e menos gorduroso que o primo americano. Outra iguaria é a erva chamada “priprioca” que seria uma combinação entre baunilha e terra. A maioria das receitas são muito complicadas para simples pilotos de fogão se aventurarem.

Mas o paulista chefe de cozinha nem sempre foi excêntrico. Atala já foi punk e aprendeu a cozinhar quando se aventurou em uma temporada na Europa. Ele trabalhou com grandes chefs na Bélgica, França e Itália. Quando voltou ao Brasil aplicou o que aprendeu e abriu um dos restaurantes mais renomados em São Paulo, o Dalva e Dito. O trabalho do brasileiro levou seu restaurante a figurar entre os 10 melhores do mundo.