Longa filmado por 12 anos é maior vencedor do Globo de Ouro

0
702

Boyhood levou três prêmios, incluindo melhor drama; já Grand Hotel Budapest levou prêmio de melhor comédia

DA REDAÇÃO COM G1

DIVULGAÇÃO
“Elenco

Elenco e direção de “Boyhood” posa para receber prêmio de melhor dramaX

O longa-metragem Boyhood, do diretor Richard Linklater, foi o grande vencedor do Globo de Ouro, organizado em Los Angeles e transmitido pela rede de TV NBC no domingo (11). A produção, que é de baixo orçamento para os padrões hollywoodianos, acompanha a trajetória de um garoto, passando por sua infância e adolescência, e demorou 12 anos para ser filmada. Boyhood levou as estatuetas de melhor diretor, filme (na categoria drama) e atriz coadjuvante (para Patricia Arquette).

O Globo de Ouro é um dos prêmios mais importantes do cinema porque é considerado uma espécie de prévia do Oscar, apontando quais devem ser os filmes a serem premiados pela maior festa do cinema, que acontecerá em 22 de fevereiro. Além de filmes, o evento também premia produções para a TV.

A maior surpresa da noite foi o vencedor na categoria melhor comédia ou musical. O prêmio foi para Grand Hotel Budapeste, de Wes Anderson, mas o mais bem cotado para o prêmio era Birdman, do diretor Alejandro Gonzalez Iñárritu.

Já entre os atores os agraciados com o prêmio foram Eddie Redmayne (ator principal em drama, por The Theory of Everything), Michael Keaton (ator principal em comédia, por Birdman), Julianne Moore (atriz principal em drama, por Still Alice) e Amy Adams (atriz principal em comédia, por Big Eyes).

TV
Na seara televisiva, o Globo de Ouro consagrou as séries The Affair (na categoria drama) e Transparent (na categoria comédia ou musical). Já Fargo, que é baseada em um suspense feito para o cinema nos anos 1990, levou o prêmio na categoria melhor minissérie ou filme para a TV.

Entre os atores de TV os premiados foram Kevin Spacey (na categoria drama, por House of Cards) e Jefrey Tambor (na categoria comédia, por Transparent). Já entre as atrizes, foram premiadas Ruth Wilson (na categoria drama, por The Affair) e Gina Rodriguez (na categoria comédia, por Jane The Virgin).

Todos foram Charlie
A festa também teve tom político, já que muitas celebridades aproveitaram os holofotes do tapete vermelho, antes da cerimônia, para mostrar cartazes com o lema “Je suis Charlie”, em homenagem ao jornal satírico francês Charlie Hebdo atacado recentemente em Paris por extremistas islâmicos.

George Clooney, que recebeu o prêmio Cecil B. DeMille (um Globo de Ouro honorário por sua contribuição ao cinema), citou as manifestações após ataques em Paris. “Hoje foi um dia extraordinário. Milhões de pessoas marcharam, não só em Paris. Não marchamos em protesto, mas para apoiar a ideia de que nós não vamos andar com medo”, disse o ator e diretor.

A mulher de Clooney, a advogada Amal Alamuddin, também desfilou com uma bolsa da Dior, com a inscrição “Je suis Charlie”. Durante a cerimônia, Jared Leto também citou o massacre na sede do jornal e disse: “Je suis Charlie”. Outros nomes do cinema que também mostraram sua indignação com os ataques na França foram as atrizes Kathy Bates e Helen Mirren.