Mississippi se une à ação contra Deferred Action

0
511

Governador quer intensificar o controle da imigração e considera que o governo federal fez um mau trabalho

O governador republicano do Mississippi, Phil Bryant, anunciou nesta querta-feira (10) que se unirá a uma ação judicial contra o governo de Barack Obama por causa de sua ordem executiva que impede a deportação de jovens imigrantes indocumentados e lhes concede autorizações temporárias de trabalho.

O anúncio de Bryant provocou a crítica imediata da organização American Civil Liberties Union (União Americana de Liberdades Civis – ACLU) em Mississippi.

A ação foi apresentada em agosto em um tribunal federal de Dallas em nome de 10 funcionários do Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) e afirma que o plano de Deferred Action para aqueles que chegaram aos Estados Unidos quando eram crianças viola a lei federal e obriga o pessoal do ICE a violar a lei ao não prender certos imigrantes ilegais.

Os estados precisam proteger suas fronteiras enquanto o governo federal continua ignorando este crescente problema, destacou Bryant em um comunicado de imprensa.

Considero que esta ação tomada pelo governo de Obama é inconstitucional e invade a autoridade do Congresso, afirmou.

A verdade é que a imigração ilegal continua sendo um assunto real com consequências reais, e ignorar a lei é irresponsável. Como governador, eu não posso ignorar o problema da imigração ilegal e o que isto custa para o Mississippi, acrescentou o governador.

Resposta da ACLU

Nancy Kohsin-Kintigh, diretora do programa da ACLU de Mississippi, disse em uma conferência de imprensa que a ordem executiva do presidente Barack Obama deu a várias pessoas, muitas das quais vieram para os Estados Unidos como bebês de colo, a oportunidade de alcançar o sonho americano.

Agora, o governador Bryant quer tirar esta oportunidade deles, disse a ativista. Se o governador Bryant está realmente preocupado com o impacto econômico dos imigrantes indocumentados, por que vai negar a estes jovens a oportunidade de obter permissões de trabalho e se converterem em contribuintes?

Bryant tem dito durante anos que deseja intensificar o controle da imigração porque considera que o governo tem feito um mau trabalho.

Durante a legislatura de 2012, a Câmara de Deputados de Mississippi aprovou um projeto de controle de imigração, mas o presidente democrata Hob Bryan da Assembleia Legislativa eliminou o anteprojeto ao não colocá-lo em debate na comissão jurídica do Senado. Bryan disse que o anteprojeto tratava de controlar a maneira como as autoridades deveriam fazer seu trabalho.