Moda praia vira negócio rentável para brasileira

0
2784

Andreia Cardoso largou o emprego no hospital para se dedicar a uma paixão, desenhar biquinis

Joselina Reis


Empresária Andreia Cardoso e modelos com sua coleção de praia 2014

O biquini geralmente é uma peça pequena, mas tem estilo próprio e as brasileiras são conhecidas por entenderem do assunto. A empresária Andreia Cardoso, de 41 anos, juntou tudo isso, mas a disposição e o talento próprio para criar peças bonitas e há quatro anos pediu um empréstimo aos pais. Surgia aí a marca Corpo Bonito, com peças desenhadas em seu ateliê em Orlando (FL), produzidas no Brasil com tecido brasileiro e vendida para EUA, Austrália e Caribe. “Na primeira coleção, primeiro ano da empresa já vendemos mais de três vezes o valor investido”, disse a empresária que aposta na qualidade para o sucesso do seu produto.

A coleção 2015 será lançada na tradicional Feira de Moda Praia em Miami em julho deste ano. Andreia conta que o design da nova linha está sendo mantido sob sigilo e por isso apenas as fotos da coleção 2014 são divulgadas, por enquanto.

O começo, segundo ela, foi bem simples, mas a qualidade fez com que a marca crescesse rápido e hoje ela dispensa todo o seu tempo para os desenhos. “Eu vou ao Brasil em busca de novidades e inspiração todos os anos e quando volto desenho tudo aqui em Orlando, mas quem confecciona são empresas no Brasil”, revela querendo frisar que quer manter a brasilidade do produto e gerar recursos no Brasil. “Não produzo nada na China. É tudo brasileiro”, conta.

Antes de investir em sua própria coleção, Andreia trabalhava como terapeuta respiratória em um hospital e nas horas vagas desenhava e vendia suas criações para marcas famosas. “Eu via meus biquinis famosos sem poder dizer que eram meus, por que o contrato não permitia. Ai resolvi sair do anonimato”, lembra.

Depois de fazer tudo o que pais exigiram – estudar e conseguir uma profissão que desse dinheiro – ela poderia finalmente fazer o que gostava. “Desde pequena eu já desenhava, na adolescência passava a maior parte do tempo na praia no Rio e comecei a fazer meus próprios biquinis”, conta a paulista de Pindamonhangaba.

Como o namorado a apelidou de “Corpo Bonito”, Andreia que já fez trabalhos como modelo resolveu adotar o nome para sua coleção. A primeira coleção, com sete modelos, ela e mais alguns vendedores começaram a levar para algumas lojas para mostrar e para sua surpresa nunca ouve quem não gostasse. Os clientes de quatro anos atrás continuam os mesmos e o número só cresce. “Eles sabem que vamos entregar na data certa, com a mesma qualidade do mostruário e os preços são ótimos”, enumera os atrativos.