Morre aos 56 anos Steve Jobs, o visionário fundador da Apple

0
573

Em comunicado à imprensa, companhia se diz “profundamente entristecida” ao informar que Steve Jobs faleceu nesta quarta-feira

“Seu brilhantismo, paixão e energia foram fonte de incontáveis inovações, que enriqueceram e melhoraram as nossas vidas”, disse ainda o comunicado. “O mundo está incomensuravelmente melhor por causa dele.”

Jobs deixou o cargo de CEO da Apple no final de agosto declarando que não poderia mais cumprir com seus deveres, mas permaneceu na companhia como membro da assembléia de diretores. Ele sofria de câncer pancreático desde 2004 e depois de ter se submetido a várias cirurgias precisou de um transplante de fígado em 2009.

Foram raras as ocasiões em que uma companhia ou indústria tenha sido tão dominada e centralizada na figura de um só de seus líderes. A influência de Jobs foi muito além dos icônicos computadores pessoais que foram o principal produto da Apple durante os seus primeiros vinte anos de existência. Na última década, a Apple revolucionou a indústria da música com seu iPod, a de telefones com o iPhone, o mundo da mídia e do entretenimento com o iPad. Em todos esses momentos, Jobs apostou que sabia o que o consumidor queria, e em todos ganhou a aposta.

Os primeiros anos da Apple já viraram legendários: os dois jovens ripongas fundadores da companhia, Steve Jobs e Steve Wozniak; o lançamento do primeiro computador Macintosh em 1984, que ampliou os limites que essas máquinas poderiam alcançar; a saída de Jobs no ano seguinte, numa disputa de poder, para depois retornar em 1996 e liderar uma sequência de sucessos, que tirou a Apple da quase ruína para sua atual posição privilegiada. Este ano, a Apple superou por algum tempo a Exxon Mobil como a mais valiosa companhia americana.

Bill Gates, ex-CEO da Microsoft, disse em comunicado que estava “realmente triste com a notícia do falecimento de Steve Jobs”, e acrescentou: “Raramente o mundo vê alguém que tenha causado tanto impacto quanto Steve causou, cujo efeito ainda vai ser sentido por gerações no futuro. Para os que tiveram a fortuna de ter trabalhado ao seu lado, foi uma honra incrivelmente grande. Sentirei muito a falta de Steve.”