NBA pode abrir a temporada 2011-2012 em 15 de dezembro

0
576

Pela primeira vez, tudo indica que a greve, iniciada em 1º de julho, pode mesmo terminar em breve

Parece que a greve dos jogadores da NBA está chegando ao fim. Esta semana, em New York, David Stern, o responsável pela liga de basquete mais famosa do mundo, apontou 15 de dezembro como a data de início da temporada 2011-2012 da NBA, com cada equipe disputando 72 jogos na fase inicial, dez partidas a menos do que disputariam se não tivesse havido a greve.

O calendário já foi montado pela liga, com Adam Silver, outro executivo da NBA, dizendo que o fim da temporada seria esticado em uma semana, fazendo com que as Finais da NBA também se estendessem uma semana mais em junho, terminando possivelmente em 28 de junho. O final de semana do All-Star, marcado para o período de 24 a 26 de fevereiro em Orlando, também estaria incluído neste calendário.

Para este novo calendário conseguir ser cumprido, no entanto, o sindicato dos jogadores precisa aceitar a última proposta da NBA, apresentada nesta quinta-feira.

O diretor executivo do sindicato, Billy Hunter, disse que se reunirá com os representantes dos jogadores das 30 equipes no início da próxima semana para determinar se prosseguem com a proposta da liga. “É um longo percurso”, admitiu Hunter. “Estamos perto do fim e tentando ajeitar as coisas.”

Hunter revelou que vários pontos precisam ser equacionados nas negociações com a liga, mas, claramente, agora há um período definido. “Não é a melhor proposta do mundo”, comentou Hunter, “mas tenho a obrigação de pelo menos apresentá-la aos membros”.
Ao propor o calendário de 72 jogos, os jogadores perderiam apenas um mês de salário, ao contrário de três se a liga simplesmente escolhesse o calendário de 15 de dezembro sem partidas adicionais.

Se houver o acordo, os jogadores e os donos teriam de votar, criar um período de agentes livre onde seriam feitas trocas e contratações -, seguido pelos treinamentos e possivelmente jogos amistosos.

Penso que as duas partes gostariam de começar a temporada em 15 de dezembro”, afirmou Stern. “Aguardamos a resposta do sindicato. Fizemos o melhor. Há um momento em que precisamos parar as negociações, e a hora é esta.”

A atual proposta mantém as regras do “Bird Rights”. Para o Heat, isto significa que eles podem segurar LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh quando os contratos deles acabar. A proposta também permite que times com teto salarial, como o Miami Heat, alto possam utilizar a exceção mid-level, embora as equipes menores que não atingiram o limite de luxury-tax da NBA podem chegar a $9 milhões em três anos.

Há ainda a provisão da “anistia” que possibilita ao Heat escapar das obrigações do teto salarial e do luxury-tax para um contrato único ao liberar o jogador durante o acordo, que pode durar seis anos. Isto pode posicionar o Heat para esperar sobre qualquer potencial decisão com Mike Miller.

Stern afirmou que uma proposta mais restritiva seria apresentada, caso o sindicato rejeite esta atual proposta. O sindicato tem ainda de rejeitar a opção de descertificar e lutar contra a liga através do sistema legal da liga.”Revisamos nossa proposta, e não estamos pretendendo fazer outras”, garantiu Stern. “Não há mais nada para se negociar”, encerrou o poderoso executivo da liga.