Número de policiais mortos em serviço aumenta 89% em um ano nos EUA

0
1257

Mais de 50 policiais americanos morreram no exercício da profissão no ano passado, segundo estatísticas divulgadas pelo FBI na segunda-feira (11)

DA REDAÇÃO (com France Presse) – Mais de 50 policiais americanos morreram no exercício da profissão no ano passado, um aumento de 89% em comparação com o número de vítimas fatais de 2013, segundo estatísticas divulgadas pelo FBI na segunda-feira (11).

Os dados do FBI, polícia federal americana, indicaram que um total de 51 policiais morreram em 2014, dos quais 46 perderam a vida em incidentes com armas de fogo – contra um total de 27 mortos em 2013 -, quatro foram atropelados de propósito e um perdeu a vida durante uma briga.

Apesar deste aumento, o número de vítimas fatais em 2014 esteve abaixo da média para o período desde 1980, quando o FBI começou a compilar cifras do tipo. Entre 1980 e 2014, uma média de 64 agentes de polícia morreram em serviço por ano.

As cifras foram divulgadas em um cotexto de tensões crescentes entre as forças da lei em todo o país e as comunidades que policiam após uma série de mortes controversas de homens negros desarmados nas mãos da polícia.

O diretor do FBI, James Comey, se referiu à “especialmente difícil relação entre a polícia e as comunidades que servimos” em uma mensagem de vídeo para anunciar as estatísticas.

Comey pediu aos membros das forças de ordem para “fazer absolutamente tudo o melhor para tentar ver claramente as pessoas a quem servimos e buscar oportunidades para que nos vejam”.

Estas estatísticas foram divulgadas depois que dois agentes da polícia foram mortos durante um controle de tráfego no Mississippi, no sábado (9). Quatro homens foram detidos devido a estes assassinatos.

Funeral em NY
Na sexta-feira (8), milhares de pessoas, a imensa maioria policiais, assistiram em Long Island (leste de Nova York) ao funeral de um oficial baleado uma semana atrás em seu carro.

O funeral de Brian Moore, 25, morto em hospital dois dias depois de levar um tiro na cabeça enquanto estava em seu carro no bairro do Queens, foi celebrado na igreja católica romana de St. James, em Seaford (65 km ao leste de Nova York), a cidadezinha de onde o jovem era originário.

Moore foi o quinto policial baleado e o terceiro a morrer em Nova York desde meados de dezembro passado. Um homem negro, suspeito de ser o autor do disparo, foi detido pouco após o ataque.