O rosto e a sua identidade

A imagem do seu rosto deve estar em sintonia com a pessoa que você é no seu íntimo

0
3817
O rosto e a sua identidade

De acordo com o Philip Hallawell, o criador do Visagismo, o aspecto mais importante na construção da imagem pessoal, é a relação do rosto com o senso de identidade que cada pessoa tem de si, pois seu rosto é você; para você mesmo e para os outros.

O fato é que reconhecemos alguém pelo seu rosto e costumamos atribuir valores a ele. Basta parar para se lembrar de alguém, que aparecerá uma imagem do rosto dela imediatamente em sua mente e, talvez, a imagem do seu corpo e de seus gestos. Sem dúvidas, você também associará sensações sobre as imagens do rosto dessa pessoa; sensações positivas de simpatia, de admiração, de prazer, de alegria; ou negativas, de antipatia, de rejeição, ou de desprezo. Mesmo se não conhecer pessoalmente a pessoa, terá as mesmas sensações.

Por isso a identidade está diretamente relacionada ao que o rosto expressa do seu ser, que é algo muito mais profundo do que o simples reconhecimento físico. Mas apesar de fundamental, infelizmente, essa questão é raramente discutida na área da beleza.

De acordo com o Philip Hallawell, “o estilo, corte, penteado e cor do cabelo, as formas dos cachos, a maquiagem, o formato das sobrancelhas e os pelos faciais interagem com o formato do rosto e das feições, a cor da pele e as proporções do rosto, resultando numa imagem que pode ser muito diferente da imagem do rosto de cara lavada e cabelo puxado para trás. É a imagem final que define a identidade da pessoa.”

O rosto e a sua identidadePor isso é muito importante que essa imagem esteja em sintonia com quem a pessoa sinta que é no seu íntimo e que expresse suas qualidades e valores. Esse equilíbrio é essencial para a saúde mental, física e emocional, além de elevar a autoestima e autoconfiança do ser humano.

Isso explica o porquê da nossa imagem influenciar no nosso comportamento, o porquê de ficarmos tímidos quando não estamos nos sentindo bem com o nosso visual, com o penteado, corte ou cor de cabelo, com uma determinada roupa que não nos favorece; e o porquê de nos sentirmos autoconfiantes quando estamos “de bem” com a nossa imagem.

Nada é tão importante para nós, como se olhar no espelho e dizer “Isso sou eu”. É o que o Philip chama de “momento mágico do encontro da imagem exterior com a imagem interior, quando esta se materializa numa forma precisa”.

Por isso, dedique alguns minutos para você, olhe-se no espelho e pergunte-se: A imagem que vejo expressa o que realmente sou por dentro? Representa o que eu desejo expressar para o mundo?

É aí que o Visagismo entra em cena e, através de um caminho suave da estética e harmonia, ajuda a adequar o rosto e tudo aquilo que envolve a imagem pessoal às reais necessidades e desejos do indivíduo.

Fotos: @walcavalcanteestudio