Obama anuncia medidas imigratórias nesta quinta-feira

0
1020

Em video, presidente marca para amanhã, na Casa Branca, o anúncio de seu pacote de ordens executivas. Plano pode beneficiar até 3,6 milhões de imigrantes indocumentados.

Da redação, com CNN

O presidente Barack Obama confirmou em video gravado hoje na Casa Branca que vai anunciar nesta quinta-feira o seu pacote de medidas para resolver o problema imigratório. O anúncio vai ser transimitido pela TV na noite de quinta. As medidas incluem mudanças nas regras de deportação e devem beneficiar milhões de imigrantes indocumentados.

Depois do anúncio em horário nobre na quinta, Obama voa para Las Vegas, segundo informou a CNN, onde vai participar de um evento relativo ao anúncio. Ainda que os detalhes não sejam conhecidos, as linhas gerais do plano, de acordo com pessoas que tiveram acesso a ele, incluem a suspensão da deportação de pais de cidadãos americanos, medida que pode afetar cerca de 3.5 milhões de pessoas diretamente.

“Todo mundo concorda que o nosso sistema imigratório está quebrado. Infelizmente, Washington deixou que o problema se agravasse durante muito tempo”, disse o presidente no video postado na sua página do Facebook. “Assim, o que vou fazer é o que está ao alcance da minha autoridade legal como presidente, para que o sistema funcione da melhor forma, ainda que continue a trabalhar com o Congresso para encorajá-lo a elaborar uma lei bipartidária e completa que resolva de vez o problema”, concluiu.

Obama convidou líderes democratas para um jantar na Casa Branca na noite de quarta-feira. Durante o jantar, o plano de usar ordens executivas foi debatido, de acordo com uma fonte da CNN. O presidente declarou em junho que não esperaria o Congresso passar uma reforma imigratória abrangente, e anunciou que tomaria medidas próprias antes das eleições. A decisão foi adiada para depois da votação.

Os republicanos têm expressado grande indignação com a manobra, dizendo que uma ação unilateral pode coibir toda a ação legislativa. Dois parlamentares republicanos que tiveram papel fundamental no debate imigratório contactaram o presidente a fim de avisá-lo que se ele for em frente com o plano o partido vai tentar impedir a Casa Branca de implementar as ordens executivas. “Antes de prosseguir com as ordens executivas, imploramos ao presidente que trabalhe com o Congresso na elaboração de uma legislação que conserte o nosso alquebrado sistema imigratório”, disseram Michael McCaul (R-Texas) e Bob Goodlatte (R-Va.), em carta ao presidente.

“Rogamos que respeite a Constituição e abandone qualquer iniciativa unilateral e inconstitucional com relação à imigração. Vamos reforçar nossas fronteiras, fazer cumprir as leis no país e construir um consenso a respeito da reforma imigratória”, escreveram. “De outra forma, como chefes de comitês que supervisionam a segurança de nossas fronteiras e nossas leis imigratórias, seremos forçados a usar mão dos instrumentos que temos à disposição do Congresso outorgados pela Constituição para impedir que o seu governo prossiga com este plano.”

O Plano

O plano de Obama tem gerado muita especulação, mas a Casa Branca ainda não revelou oficialmente nenhum detalhe sobre o que será anunciado na noite de quinta-feira. Fontes do governo afirmam que o ponto principal será a permissão aos pais indocumentados de cidadãos americanos para permanecerem em solo americano livres da ameaça de deportação. O plano incluiria os pais de residentes legais também, mas não os pais de jovens beneficiados pela Deferred Action de 2012, que protegeu jovens indocumentados que chegaram ainda crianças aos Estados Unidos.

Cerca de 3.6 milhões de pessoas podem ser beneficiadas pela medida, de acordo com uma estimativa de um instituto de pesquisas imigratórias. Mas o número pode ser menor caso haja uma restrição na medida que inclua um determinado tempo de permanência nos Estados Unidos para a qualificação.

Outra área possivelmente incluída no plano é a extensão da proteção contra a deportação de imigrantes que chegaram ainda crianças aos Estados Unidos. Uma alteração nos limites de idade dessa medida qualificaria outras centenas de milhares para o benefício.

Autoridades dizem que o plano prevê também a aplicação de mais recursos na busca e deportação de imigrantes indocumentados criminosos e um aumento no número de vistos disponíveis para a área tecnológica, e ainda mais recursos para aumentar a segurança nas fronteiras. O secretário de Homeland Security, Jeh Johnson, disse que “as reformas serão abrangentes”, e que o reforço nas fronteiras farão parte delas.