Obama quer $2 bilhões para investir na segurança da fronteira com o México

0
863

Recurso vai ser investido em medidas para barrar a invasão de imigrantes ilegais, principalmente as crianças

DA REDAÇÃO, COM MIAMI HERALD

O president Barack Obama deve solicitar segunda-feira (30) o aval do Congresso na liberação de $2 bilhões para investimento na segurança da fronteira com o México. Obama também deve incluir no pedido, que o Congresso autorize o poder executivo a implementar ações para impedir a ‘invasão’ de crianças que vem atravessando a fronteira sozinhas. Estima-se que mais de 50 mil crianças cruzaram a fronteira entre EUA e México desde outubro do ano passado buscando refúgio contra a violência em seus países de origem.

Um comunicado oficial da Casa da Branca afirmou que os detalhes do plano de ação só devem ser revelados após o feriado prolongado de 4 de julho (Dia da Independência).

Uma fonte da Casa da Branca afirmou que o presidente deve solicitar ao Congresso que autorize Departament of Homeland Security (DHS) a aplicar a prática de “deportação sumária” também para crianças. Com isso, os menores atravessando a fronteira sozinhos passarão por um processo rápido de avaliação e em seguida deportados.

Urgência
Para atender à demanda de mulheres e seus filhos que atravessam a fronteira todos os dias, um centro de triagem na região sudeste do estado de New Mexico foi criado às pressas na semana passada. O objetivo é apressar a triagem e deportação de imigrantes indocumentados, especialmente as mulheres e crianças que foram detidos ao tentar atravessar a fronteira americana com o México. O objetivo é deportá-los no prazo máximo de 10 a 15 dias.

O centro de triagem vai receber apenas crianças que atravessaram a fronteira com suas mães, e mulheres. Crianças desacompanhadas vão continuar sendo enviadas ao Departamento de Saúde e Serviços Públicos.

No Texas, o problema é o mesmo. O grande número de crianças desacompanhadas que atravessaram a fronteira nos últimos meses obrigou os agentes a improvisarem abrigos em galpões. O problema já é visto pelas autoridades locais como uma questão humanitária. Recentemente, o governo do Texas afirmou que vai fazer segurança na fronteira por conta própria e culpou o presidente de inércia.

As crianças são principalmente de países da América Central. Os abrigos que recebem as crianças, cerca de 100, têm estado superlotados há meses. Elas dormem em camas improvisadas a espera de uma solução do governo.