Obama tenta recuperar prestígio entre os latinos

0
872

De olho nas eleições de 2012, presidente faz discurso no Texas e defende reforma

Com a popularidade em queda entre os hispânicos e com as eleições marcadas para daqui a 18 meses, o presidente americano, Barack Obama, sabe da importância do voto latino. Por isso, ele voltou a falar de um tema que interessa de perto aos imigrantes: a reforma imigratória. Em discurso proferido a poucos metros da fronteira entre o México e os Estados Unidos, na cidade de El Paso (Texas), o líder da nação criticou os republicanos, acusando-os de bloquear o esforço do governo de debater mudanças na lei que resolveria o problema de mais de 10 milhões de indocumentados.
“Fizemos o que foi pedido em relação à segurança das fronteiras, mas eles continuam exigindo mais”, lamentou o presidente. Obama mencionou até a questão do projeto do ‘Dream Act’, rejeitado pelo Senado há poucos meses, depois de ter sido aprovado pela Câmara, de maioria democrata. “Vamos continuar a batalha pelo Dream Act”, prometeu Obama, que falou em um palanque montado ao ar livre. O Texas faz divisa com quatro estados mexicanos – Tamaulipas, Nuevo León, Coahuila e Chihuahua.
Ele ressaltou que os Estados Unidos são um país de imigrantes e, nesse sentido, lembrou da recente participação em uma cerimônia de formatura no Miami Dade College, no sul da Flórida: “Os formandos estavam orgulhosos de representarem 181 países, sendo que muitos deles chegaram à América como imigrantes. Mas todos aplaudiram com mais alegria a bandeira americana, pois este é o lugar que eles escolheram para viver”, afirmou Obama, destacando que essa diversidade ajudou o país a ser mais forte e próspero.
No discurso, o presidente citou ainda o caso de empresas fundada por imigrantes e que hoje são grandes corporações, entre elas a Google, Yahoo, Intel e eBay. “Uma reforma imigratória ampla e justa vai evitar que as pessoas tentem entrar ilegalmente no país para procurar trabalho e isso permitirá que os agentes da fronteira se concentrem nas ameaças realmente sérias, como o tráfico de drogas e o terrorismo”, acrescentou.
Durante a campanha presidencial da qual saiu vitorioso, Obama prometeu lutar por uma proposta imigratória que garantia oportunidades aos indocumentados de buscarem a legalização se não tivessem antecedentes criminais e com o compromisso de pagar multa e impostos. Com essa plataforma, ele recebeu cerca de 80% do voto latino na América. Agora, ele se prepara para disputar as eleições para um eventual segundo mandato, mas sua popularidade entre os hispânicos diminuiu de 73% em janeiro de 2009 para 54% em março deste ano, exatamente porque a promessa não foi cumprida.
O discurso em El Paso é o início da caminhada de Obama para retomar o seu prestígio junto a um importante eleitorado. E ele escolheu justamente o estado do Texas, considerado ‘terreno inimigo’, ou seja, uma região essencialmente republicana. Desde 1976 os candidatos democratas são repetidamente derrotados nas eleições presidenciais naquele estado, apesar de 40% de população hispânica. Nas últimas semanas Obama tem insistido em trazer a necessidade da reforma para a pauta. Desde abril já foram três reuniões para tratar do assunto, uma delas com parlamentares.