Odman Felix

0
702

Bailarino brasileiro do grupo Momentum de Miami, superou problemas físicos com seu talento para o balé e agora faz sucesso nos Estados Unidos

A dança foi o melhor remédio para Felix

A companhia de dança contemporânea Momentum, de Miami, tem entre seus bailarinos um brasileiro, que além de excelente profissional possui uma história de vida bem interessante. Odman Félix é um goiano de 32 anos, vivendo há dois em Coral Gables, que começou na carreira quase por acaso: depois de ser atropelado por uma motocicleta na infância, acidente que o deixou imobilizado por um longo tempo, ele esteve ameaçado de não voltar a andar devido à fragilidade das pernas. No entanto, os conselhos de seu médico fizeram com que ele buscasse na dança e no esporte o estímulo – e a cura – para superar o problema. “Era isso ou muletas”, simplifica Félix.

E assim foi feito. Na adolescência, a rotina diária era preenchida pela ginástica rítmica e, já aos 17 anos, ele ingressou na faculdade de educação física e também nas aulas da Companhia Rhema de Teatro e Dança. Passou por vários estilos: jazz, clássico, moderno, afro e chegou a ser um dos coreógrafos da companhia de Goiânia, onde recebeu vários prêmios e o apoio do Departamento Nacional de Cultura. Com o diploma de curso superior, Félix abriu sua própria academia, misturando num mesmo local os exercícios físicos em aparelhos e a sua maior paixão, a dança.

Em 2004, porém, ele deixou família e patrimônio para trás em busca de um grande sonho nos Estados Unidos. A parada inicial foi na Flórida, mais especificamente no Miami Dade College, para matricular-se no programa de dança daquela instituição. Desde então, tudo aconteceu muito rápido na vida do bailarino. Na primeira semana de aula, ele foi convidado por uma de suas professoras a participar de uma audição do Momentum e, como agradou tanto, não saiu mais de lá. Hoje ele não só integra o corpo de baile do grupo, que tem quase 25 anos de estrada, como eventualmente substitui a diretora artística da companhia nos ensaios e é responsável por algumas classes.

Paralelamente, ele vem participando ainda de outros projetos, como os da Dança Contemporânea de Miami, do cubano Baila USA e do conceituado Actor’s PlayHouse – neste último tendo atuado no musical Narnia. E não é só isso: ele é personal trainer e tem vários alunos, não só na dança, mas também nas atividades físicas. “Alcancei meus objetivos em pouco tempo mesmo, mas também ralo muito. O importante é que estou muito feliz com o que conquistei”, confirma Felix.

Mas quem pensa que a vida aqui nos EUA foi sempre um mar de rosas para o brasileiro está enganado. Poucos minutos antes de sua primeira apresentação no Momentum, em 2005, ele recebeu no camarim a notícia da morte da sua mãe. “Não tinha como voltar ao Brasil naquele momento e precisei buscar forças em Deus para terminar o espetáculo”, lembra Félix, que aqui também recebeu a notícia da morte do pai, no mesmo ano. Ele enfrentou as adversidades se dedicando ainda mais aos seus trabalhos.

Apesar de duas irmãs também viverem nos Estados Unidos, em Boston e em Atlanta, as saudades do Brasil são grandes. “Não quero me desligar do meu país jamais, mas não penso em voltar agora. Tenho meus alunos e uma carreira que está florescendo. Além disso, pretendo abrir na Flórida uma academia de dança em breve, o que seria a realização de um sonho”, explica o bailarino. Até lá, ele terá outro diploma, da New World School of Arts, onde estuda atualmente… e certamente uma carreira bem consolidada.