Olho gigante é encontrado na praia de Pompano Beach

0
681

 olho DA REDAÇÃO, COM SUN-SENTINEL – Gion Covacci fazia a sua caminhada habitual na beira da praia de Pompano Beach quando reparou num estranho objeto redondo na areia. Chegou mais perto e percebeu que estava olhando para o maior olho que jamais viu na vida.

O globo ocular azul, do tamanho aproximado de uma bola de softball, se destacava do usual que ele sempre encontra na praia, como conchas, algas e pontas de cigarro. Pegou o olho, colocou-o num saco plástico e guardou-o na geladeira.

“Estava muito, muito fresco”, disse Gion na quinta-feira, dia que fez a descoberta. “Ainda tinha sangue quando o coloquei no saco.”

Gion relatou a descoberta a um policial, que lhe forneceu o telefone do Florida Fish and Wildlife Conservation Comminssion (Comissão para a Preservação da Vida Marinha da Flórida). Ninguém soube identificar de imediato a qual espécie de animal ou peixe o olho gigante pertencia.

Funcionários do Wildlife colocaram o olho no gelo, e vão preservá-lo em formalin, uma solução composta de formol e água, antes de mandá-lo para análise no Florida Fish and Wildlife Institute, em St. Petersburg, disse Carli Segelson, porta-voz do Wildlife Commission.

Qual será então a criatura que agora nada com um tapa-olho?

Ninguém sabe, embora as águas da costa da Flórida estejam cheias de espécies grandes o sufuciente para serem consideradas, aí incluídos peixes-espadas, tubarões e baleias. Lulas gigantes também são conhecidas por desenvolverem olhos enormes para melhor enxergarem nas águas profundas que habitam.

Charles Messing, professor do Centro Oceanográfico da Nova Southeastern University, disse que não pode excluir a possiblidade de ser uma lula gigante, mas um exame de várias fotografias de outras criaturas marinhas o levou a concluir que o melhor candidato para o olho é um peixe-espada.

Peixes-espada são muito comuns no Sul da Flórida, e bastante procurados por pescadores profissionais e amadores.

Segelson disse que a identificação da espécie pode levar tempo, mas os pesquisadores já começaram a busca.

“Neste momento, um peixe bem grande é a nossa melhor aposta”, disse.