Paixão pelos cupons ajuda brasileira a economizar 70%

0
3143

Ana Paula viu na TV que dava para ir ao supermercado e não se assustar com a conta

Joselina Reis

Cupons
Ana Paula oferece cursos de como aproveitar os cupons em suas compras

Quando a mineira Ana Paula Costa assistiu a um programa na TV mostrando as donas de casa americanas loucas por cupons, ela disse: “Eu quero também!”. Um ano depois ela começou seu próprio negócio, baseado no programa americano. O investimento está dando certo e os pedidos para os cursos de como usar os cupons já aumentaram. “Já fui chamada até para ir a Miami ensinar as donas de casa a usarem os cupons”, conta ela, orgulhosa de dizer que consegue economizar até 70% nas compras mensais.

Ana Paula trabalha como faxineira, mas pretende em breve usar 100% de seu tempo com os cursos que ministra em sua casa, em Boca Raton. “Tenho dois filhos pequenos e quero estar mais perto deles”, conta ela que organiza os cursos semanalmente.

A mineira lembra que já fez loucuras como as vistas na TV para conseguir os cupons. A mais ousada foi pular em um dumpster (aqueles depósitos de lixo gigantes) à procura dos cupons. “Minha amiga me ajudou, recuperamos pelo menos uns 100 cupons impressos nos jornais de domingo”, revelou a brasileira.

Os cursos custam $20 e são aceitas no máximo sete mulheres (todas loucas por cupons). O que Ana Paula ensina não é apenas a recortar cupons de jornais e panfletos. Ela conta que o segredo do negócio é a combinação de cupons e aguardar a hora certa para usá-los. Segredo que ela já aprendeu e afirma que põe em prática toda semana nas compras de casa. “Já fui fazer compras, não paguei por nada e o supermercado ainda teve que me devolver dinheiro”, conta ela animada pela façanha.

Ela comenta que o marido não gosta muito da sua mania, mas percebeu que ela parou de pedir dinheiro para as compras da casa. “Eu tinha que ficar pedindo dinheiro toda hora, agora não. Com o que economizo nas compras consigo comprar outras coisas para as quais raramente existem cupom, como a carne”, explica.

A estratégia, garante Ana Paula, é ficar de olho nas grandes lojas como Publix, Target, Walmart e na rede de drogarias CVS e Walgreens. Ela vai às compras de três a quatro vezes por semana, a quantidade de produtos extra em casa não chega a lotar garagens ou quartos como os vistos nos programas de TV, mas ela se orgulha em dizer que tem alguns itens estocados para mais de um ano.

Quando tem além da conta, ela doa para famílias pobres e para obras da igreja. “Não guardo muito. Tem pessoas precisando e muita coisa eu consegui de graça ou quase de graça”, disse, muito satisfeita com os recibos do supermercado, principalmente aqueles de compras onde ela gastou quase $200, mas só desembolsou uns $40.

Outro segredo é a união, garante Ana Paula. Ela formou um grupo de donas de casa interessadas em cupons (www.facebook.com/groups/Cuponeirasdaflorida) e com isso conseguem trocar cupons, no mesmo estilo álbum de figurinhas. “A gente compartilha e assim todo mundo consegue comprar o que precisa quando está na promoção”, lembra ela, que lamenta que a Flórida não segue a regra de duplicidade como outros estados americanos. Em outros estados a loja precisa dobrar o valor do desconto contido no cupon.

Uma das alunas de Ana Paula, a brasileira Karla Cunningham, colocou em prática as dicas e se deu bem nas últimas compras. “A gerente teve que ajudar as outras pessoas em outro caixa. Um rapaz ficou atrás de mim e eu avisei que iria demorar e ele disse que não tinha problema, ele queria é ver tudo. Quando o caixa reabriu ele não acreditou o que a caixa disse, que eu tinha economizado $326”, disse animada estampando seu recibo quilométrico.