Pelaipe preferia Roth em vez de Jorginho no Flamengo

0
669

Muita gente disse que relação com a comissão técnica de Jorginho era distante

Unanimidade entre os integrantes da nova diretoria e com aval de Zico, Jorginho, demitido na madrugada desta quinta-feira (6) pelo Flamengo, foi contratado no fim de março a contragosto de Paulo Pelaipe. O nome indicado pelo diretor de futebol, na época, era o de Celso Roth.

Na noite do dia 16 de março, pouco depois de o clube anunciar a saída de Dorival alegando falta de acordo salarial, o empresário de Jorginho, Claudio Guadagno, foi informado sobre o assunto e entrou imediatamente em contato com Zico para falar sobre o nome do treinador. O Galinho, que faz parte do Conselho Consultor do clube, aprovou e conversou com Wallim Vasconcellos, vice de futebol.

Pelaipe, por sua vez, encontrava-se em Porto Alegre e voltaria ao Rio de Janeiro no dia seguinte para reunir-se com a cúpula do Flamengo. Ele já tinha o nome de Celso Roth como o substituto de Dorival Júnior. Jorge Machado, empresário do técnico e que tem boa relação com o dirigente, já estava preparado para um possível início de negociação. O executivo de futebol rubro-negro, entretanto, foi voto vencido.
Mesmo contrariado, Pelaipe teve de aceitar a imposição da alta cúpula, que anunciou Jorginho ainda no dia 17. A relação entre o diretor e a nova comissão técnica, porém, sempre foi distante.

No dia 30 de março, na derrota do Flamengo para o Audax, em Moça Bonita, um fato que aconteceu em Bangu já mostrava a rusga existente entre as partes. Aílton, auxiliar de Jorginho, foi visto procurando um lugar para assistir ao jogo. Ele recebeu a orientação para ir até onde alguns dirigentes do Flamengo se encontravam, entre eles Pelaipe. O auxiliar, entretanto, recusou-se a se sentar próximo ao diretor.

O desejo de Paulo Pelaipe em ter Celso Roth pode fazer com o clube faça uma nova investida pelo treinador. Recentemente, o treinador recebeu uma proposta do Sporting, de Portugal, superior a 100 mil euros (R$ 260 mil) por mês. Jorge Machado estava à frente das conversas, que não evoluíram. E o próprio Roth optou por esperar uma oferta do Brasil.

Sem trabalhar desde dezembro do ano passado, quando deixou o Cruzeiro, Roth recebia na Raposa pouco mais de R$ 300 mil. Salário superior ao de Jorginho no Rubro-Negro que era de aproximadamente R$ 200 mil.

O empresário de Jorginho, Claudio Guadagno, negou qualquer contato com Zico, na época, para oferecer Jorginho ao Flamengo.”Eu nunca liguei para Zico. Isso não aconteceu nunca. Jorginho, quando estava no Japão, foi procurado pelo Flamengo e não quis ir. Depois, quando acabou o contrato no Japão, procuraram e foi acertado isso”, afirmou Guadagno.