Pergunte ao advogado: as dúvidas de imigração dos leitores

0
1944
Imigração em Dia

O advogado Philip Paradisis é membro da Massachusetts Bar Association (MBA), da American Immigration Lawyers Association (AILA) e da Law Society of Ontario (LSO). Telefone:  (561) 232-8941.

Eu vivo nos Estados Unidos ilegalmente já faz 5 anos. Será que posso aplicar para asilo? Há alguma complicação nisso?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Geralmente você tem que solicitar asilo dentro de um ano a partir da entrada nos Estados Unidos. Exceções podem ser feitas por motivos significativos que podem ter impedido você de solicitar ou com base nas alterações das condições do país. Aplicar depois de um ano torna o caso mais desafiador. Eu sugiro que você converse os detalhes de seu caso com um advogado de imigração.

Meu pai morou e trabalhou bastante tempo nos EUA, onde casou-se e teve um filho e trabalho. Meu irmão nasceu lá, é cidadão americano, porém veio cedo para o Brasil e atualmente reside aqui. Meu pai já é falecido. Consigo fazer o pedido de green card através do meu irmão com ele morando aqui no Brasil?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Seu irmão certamente pode fazer uma petição para você do exterior. O primeiro passo seria preencher o formulário I-130, enviando o formulário para os Estados Unidos. Para solicitar o Green Card (I-485), no entanto, você tem que esperar cerca de 14 anos.

Uma criança que está com o status de ilegal nos Estados Unidos mais é praticante de Sport, caso uma equipe queira patrociná-la, ela teria possibilidade de conseguir o green card?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Uma resposta completa a esta pergunta dependeria muito das especificidades do caso. Eu sugiro que você marque uma consulta com um advogado de imigração para conversar sobres as opções possíveis.

Estou abrindo uma empresa nos EUA, e quero aproveitar e já deixar “preparado” a possibilidade de um visto L1. Minha dúvida é se já abro essa empresa no meu nome ou no nome da minha empresa brasileira?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – O visto L-1 permite que uma empresa estrangeira envie um executivo ou gerente aos Estados Unidos com o objetivo de estabelecer a empresa nos Estados Unidos. A forma como a empresa é constituída no exterior determinaria como você a configuraria nos Estados Unidos. Consulte um advogado de imigração para conversar sobre as opções.

Vou pagar mais impostos se essa empresa americana tiver como sócia uma “pessoa jurídica”?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Eu recomendo que você consulte um contador experiente para as suas questões sobre imposto de renda. 

Gostaria muito de saber se a ajuda que o governo enviou de $1,2 para adultos e $500 para crianças durante a pandemia, pode prejudicar na hora de se legalizar? 

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Os cheques (conhecidos como “descontos de recuperação”) enviados de acordo com a Lei CARES atuam como créditos fiscais emitidos pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos. O Departamento de Segurança Interna (DHS) deixou claro que os créditos fiscais não serão usados ​​para determinar a elegibilidade para ajustar o status sob a regra de cobrança pública. Portanto, isso não afetará você na obtenção do Green Card.

Minha ex mulher (brasileira) mora atualmente nos EUA com visto de turista já expirado, e nosso filho mora comigo no Brasil. Ela me pediu para levá-lo para ela, que tem o desejo de morar com ele na Califórnia. A dúvida é: Eu consigo entrar nos EUA e deixá-lo com ela e voltar sem ele, sem que tenha problemas na imigração?

Philip Paradisis – Nomos Law Group – Para entrar nos Estados Unidos, você precisa obter um visto de turista para você e seu filho. Depois de obter o visto, você pode entrar nos Estados Unidos e voltar ao Brasil sem problemas. Deixar a criança para trás após a data de validade do visto, no entanto, pode eventualmente afetar a situação legal da criança e pode causar problemas futuros se a criança quiser permanecer nos Estados Unidos. Eu consideraria cuidadosamente as consequências potenciais antes de deixar a criança para trás, especialmente porque sua ex-esposa não tem status legal.

As informações fornecidas acima não constituem aconselhamento jurídico ou geram uma relação advogado-cliente. Além disso, os interessados não devem tomar decisões baseadas apenas nas informações aqui apresentadas. É recomendado consultar com advogado para analisar cada caso individualmente.