Pergunte ao advogado: as dúvidas de imigração dos leitores

0
3294
Imigração em Dia

Envie sua pergunta para imigracao@acheiusa.com, que ela será respondida na medida do possível.

Ludo Gardini, advogado com escritório em Pompano Beach (FL), telefone (855)337-8440.


Sou cidadão brasileiro. Meus pais ficaram nos Estados Unidos entre 1987 a outubro de 1993, nesse meio tempo (1989) eles tiveram minha irmã em Philadelphia. Hoje ela mora no Brasil na mesma cidade que eu e meus pais. Ela pode dar o green card para mim? E quais os procedimentos que a minha irmã deve fazer para solicitar o green card para mim?

Gardini – Sim, ela pode passar o green card para você. Mas, o processo entre irmãos leva em média 15 anos. Ou seja, se sua irmã aplicar para você agora em 2018, você somente receberá o green card em 2033. O primeiro passo é o preenchimento e envio do formulário I-130; o tempo começa a correr assim que a imigração receber esse formulário.

Entrei nos Estados Unidos em outubro de 2003 juntamente com minha esposa pelo México. Foi tudo direto e muito rápido, sem passar no chamado cai-cai. Desde 2004 comecei a declarar imposto de renda fazendo o ITIN number. Tivemos três filhos, hoje com 12, 9 e 5 anos. Existe alguma alternativa para pelo menos conseguir um SSN ou Employer Authorization ou pela lei dos dez anos?

Gardini – Infelizmente parece que na sua situação, por enquanto, não será possível para você obter um social security number. Com referência à lei dos dez anos, isso na verdade é um tipo de defesa feita pelos advogados nas cortes de imigração, chamada: cancelamento de deportação de não residentes.

Morei nos EUA, tive um filho aí e há 17 anos voltei para o Brasil. Agora meu filho está voltando para morar. Gostaria de saber como funciona e os direitos para que ele me dê os papeis e para a minha filha de 16 anos?

Gardini – Ele pode fazer uma aplicação I-130 para a irmã, isso levara em torno de 15 anos para que ela seja chamada para receber o green card.

Já tinha entrado nos Estados Unidos quatro vezes em um intervalo de pouco tempo, até então tudo bem. Na última vez ao tentar entrar pelo aeroporto de NYC, onde cheguei de um voo vindo de Paris para participar da Gay Parade, fui proibido de entrar e meu visto cancelado, impedido de solicitar outro até completar cinco anos. Posso pedir perdão, pois acredito que houve um equívoco na decisão?

Gardini – Parece que você foi deportado do aeroporto, isso explica o castigo de cinco anos. Sim, existe um pedido de perdão para quem perdeu o visto nestas circunstâncias, na lei INA $212(d)(3)

Vim para os EUA como turista, em novembro de 2016 me casei, dei entrada em todos os papéis próximo da data limite. Recebi e renovei todos os documentos (autorização de trabalho, carteira de habilitação…), mas ainda não fui chamado para entrevista. Fui informado que se passar de dois anos da data em que me casei, receberia o green card de 10 anos, isso é verdade?

Gardini – Sim, isso é verdade. No dia da entrevista se você já estiver casada por dois anos, o seu green card chegará já com 10 anos de validade.

Sou casada com um cidadão americano e tenho green card há sete anos. Por estar morando no Brasil, quero renunciá-lo voluntariamente, para que no futuro, caso queira aplicar novamente não tenha maiores problemas. No site da imigração americana, informa que uma das maneiras de renunciá-lo, é em uma porta de entrada dos Estados Unidos. Na minha próxima entrada nos Estados Unidos, entrego ao oficial de imigração meu green card voluntariamente junto com o formulario I-407 preenchido. O que acontece? A imigração me permite entrar nos Estados Unidos, mesmo após a entrega voluntária do green card?

Gardini – Eu acredito que seria melhor você marcar uma visita ao consulado americano mais perto da sua cidade no Brasil. No consulado eu trocaria o green card pelo visto. Isto evitaria qualquer problema na fronteira dos EUA. Eu não recomendo a sua estratégia de entregar o green card na fronteira.