Pérola é liberada pela imigração e pode se legalizar no país

0
698

Brasileira foi detida há dois meses e levada ao presídio da Imigração

O que poderia ter sido um pesadelo acabou tornando-se uma novela com final feliz. Depois de ter sido detida por um policial dirigindo um carro sem carteira de motorista, Pérola Machado viu seu mundo cair. Afinal, ela estava for a de status legal nos Estados Unidos e foi encaminhada para a prisão do Serviço de Imigração em Pompano Beach.

Desesperada, sua mãe, Gloria Thomas, mobilizou-se para ajudar a filha e organizou até mesmo um jantar beneficente realizado no final do mês passado. Aliás, Gloria faz questão de agradecer à comunidade brasileira pelo apoio dado à campanha em favor de Pérola.
Depois de ser julgada e absolvida, Pérola pôde retornar para sua casa, tendo sido avisada que agentes do Departamento de Imigração iriam procurá-la em breve. Dito e feito. Nesta segunda-feira, dia 15 de junho, meio-dia e meia, eles foram até o presídio em Pompano Beach e a levaram para o Aeroporto de Miami.

Durante o trajeto, Pérola já se imaginava retornando ao Brasil, devidamente deportada, em consequência de seus atos. Mas Gloria recebeu um telefonema inesperado: “Por volta das quatro e meia da tarde, Pérola me ligou dizendo para eu ir buscá-la no aeroporto, pois havia sido liberada. Não acreditei e comecei a chorar de emoção. Ela saiu sem nem mesmo ter de pagar fiança”.
Ainda segundo Gloria, juntamente com Pérola, havia cerca de 30 estrangeiros indocumentados, inclusive alguns brasileiros – e a maioria foi liberada em vez de ser deportada. “Teve até dois mexicanos que foram deixados na estação de trem e disseram a eles para voltar para casa”, contou Gloria. Todas as pessoas que não haviam cometido crime algum foram liberadas, enquanto os criminosos continuaram detidos.

Pérola, por sua vez, não poderia ter recebido melhor notícia. Ela pôde retornar para sua casa e deve comparecer a uma audiência diante de um juiz de imigração nos próximos 30 dias, quando seu processo deverá ser arquivado. ”Eles me disseram que, no meu caso, as chances de eu me legalizar são bem grandes por eu ter entrado no país pelo aeroporto e por já estar vivendo no país por mais de dez anos”, comentou a garota. Ela foi salva pela ação de seu advogado, o qual evitou que Pérola fosse transferida para o Texas. “Na verdade, eu deveria ter sido liberada duas semanas depois de ter sido presa, mas os responsáveis pela cadeia me retiveram porque eut possuía um immigration hold emitido pelo Departamento de Imigração.

Agora, ainda refazendo-se da terrível experiência, Pérola começa a organizar seus pensamentos e vai decidir o que fazer no futuro: “Pensei em voltar para o Rio de Janeiro porque me senti ofendida, mas vou analisar qual a melhor maneira de me legalizar e regularizar minha situação aqui no país”, finalizou Pérola, que também aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio da comunidade brasileira.