Petrobras recupera fôlego no mercado internacional

0
548

Empresa emite $2,5 bilhões em títulos e encontra grande demanda junto a investidores

DA REDAÇÃO (com O Globo) – A Petrobras emitiu $2,5 bilhões em títulos no mercado internacional na última semana. Divulgada inicialmente por fontes do mercado financeiro, a operação inédita foi confirmada pela companhia. Os “bonds” foram emitidos pela subsidiária Petrobras Global Finance em New York e estão precificados em dólares. O prazo é de cem anos e a taxa de retorno aos investidores é de 8,45% ao ano. A operação surpreendeu o mercado e foi muito bem recebida pelos investidores, segundo analistas: atraiu interesse de mais de $10 bilhões junto aos aplicadores. Foi a primeira operação da estatal no mercado internacional depois do escândalo de corrupção denunciado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Com a operação da Petrobras, as captações de empresas brasileiras no exterior este ano sobem para $4,5 bilhões.

“Foi uma grande surpresa. O mercado brasileiro estava há bastante tempo fechado para emissões internacionais por conta do problema com a Petrobras. Depois que saiu o balanço da estatal, todo mundo esperava que ele se abrisse para novas emissões, mas ninguém esperava que a volta seria justamente pela Petrobras. Pensávamos que, em vez disso, teríamos uma emissão soberana e ou de alguns bancos”, afirmou Marcelo Barbosa Lima, gerente de renda fixa da INTL FCStone baseado em Miami.

O Deutsche Bank e o JP Morgan foram os bancos que coordenaram a transação. Em nota, a Moody’s afirmou que a classificação “reflete uma alta alavancagem financeira, desafios operacionais e governança corporativa frágil”. Em contrapartida, a agência destacou o tamanho das reservas da estatal, sua alta participação de mercado no Brasil e as descobertas do pré-sal.

Com a captação em bônus internacionais, a Petrobras já arrecadou este ano $18,5 bilhões nos mercados nacionais e internacionais. Desse total, $7,5 bilhões em financiamentos e outros $8 bilhões em acordos futuros de cooperação e leasing de equipamentos. Outros $3 bilhões foram captados no mercado interno junto aos bancos do Brasil e Caixa Econômica Federal (CEF) e Bradesco.

O financiamento com o banco chinês fez parte do Acordo de Cooperação assinado entre as partes fechado durante a visita da comitiva chinesa ao Brasil no mês passado. Além do financiamento de $5 bilhões, a Petrobras fez acordos de cooperação com outros dois bancos que preveem futuras parcerias em negócios, podendo incluir até a venda e leasing (aluguel) de plataformas. Um dos acordos foi de parcerias de US$ 3 bilhões com o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) e outro de $2 bilhões com o China EximBank.

Em abril, a Petrobras fechou financiamentos no mercado nacional com Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco no valor de R$ 9,5 bilhões. A empresa fez ainda acordo com o banco Standard Chartered para vender plataformas no valor de $3 bilhões.