Pink Party Foundation se fortalece

0
436

Ideia partiu de duas brasileiras que querem ajudar os pacientes com câncer e sem recursos

Há certas coisas na vida que ninguém quer pensar que um dia pode acontecer conosco. Ficar doente, com certeza, é uma delas. Ser vítima de um câncer, então, é algo que habita o imaginário de ser uma doença que sempre vai atingir o outro. A realidade, porém, é que todos estamos sujeitos a nos tornarmos vítimas deste que é um dos piores males da vida moderna.

Rosane Travassos encaixa-se neste perfil. A ativa carioca tinha uma vida atribulada e cheia de afazeres que mal tinha tempo de se alimentar direito. Em 2008, no entanto, começou a sentir fortes dores de estômago. Sentiu então a necessidade de fazer uma consulta. O médico a submeteu a uma endoscopia e ficou preocupado com o que viu. Mandou realizar uma biópsia e constatou-se câncer no estômago de estágio 3.

Desnecessário dizer que o mundo ruiu para Rosane. Ela, porém, suportou com galhardia o ano de tratamento para combater a doença. A quimioterapia fez com que caíssem seus cabelos e suas unhas, mas deu os resultados esperados. Hoje, ela voltou a ser a mesma mulher de antes e está plenamente recuperada.

Todavia, se ela se recuperou fisicamente, houve uma mudança significativa espiritualmente. Sempre quis fazer um trabalho voluntário e este acontecimento precipitou minha decisão. Comecei a pensar em como ajudar as pessoas que passam por aquilo que eu passei, contou Rosane.

Aí, ela comentou sobre suas intenções com Ana Melo, que não só a incentivou como também aliou-se para viabilizar o projeto de Rosane, juntamente com Dulcia Sforca. Estava nascendo a Pink Party Foundation, cujo objetivo é ajudar os pacientes de câncer da comunidade brasileira que estão sofrendo com a falta de recursos. Dulcia, porém, teve de se afastar por estar justamente muito comprometida com seu próprio tratamento.

Produtos que podem causar câncer

Quando elas falam em ajuda, o conceito é bem amplo, confome explicam Rosane e Ana: Claro que os recursos financeiros são importantes, mas também o apoio psicológico e espiritual são fundamentais para manter os pacientes confiantes. Por isto, elas estão à procura de voluntários que estejam dispostos a doar algumas horas de seu tempo para conversar com os pacientes e seus familiares, dar um telefonema, visitá-los ou levar um prato de comida como um ato de amor.

E a comida feita em casa realmente faz a diferença, conforme frisam as mulheres. Os conservantes usados nos alimentos podem causar câncer em algumas pessoas que os consomem sem sequer saber como eles são fabricados. Por ser uma indústria gigantesca e poderosa, o setor de alimentos sempre consegue defender-se das acusações com laudos técnicos produzidos sob medida para as empresas que integram esta indústria.

Pior ainda. Até mesmo o setor de cosméticos possui linhas de produtos que podem provocar câncer, conforme explica Ana: Eu trabalho para a Arbonne (uma companhia suíça que produz apenas produtos que não contêm agentes químicos) e doamos alguns destes produtos para pessoas com sensibilidade química, como os portadores de câncer. Nossos xampus infantis, por exemplo, são autorizados para serem usados nas crianças que têm câncer.

Diante destas evidências, as duas voluntárias têm chamado médicos, dentistas e outros profissionais de saúde para falarem sobre as prevenções ao câncer. Vale lembrar que a Pink Party Foundation é ainda muito nova e ainda está começando a divulgar suas atividades. Apesar do pouco tempo, quatro pacientes vêm sendo amparados pela associação.

Entretanto, elas fazem questão de destacar o forte apoio que têm recebido do Consulado Geral do Brasil e dos empresários brasileiros para fortalecer a associação, que sobrevive às custas das vendas de uma camiseta da própria Pink Party Foundation, no valor de $20. A associação vai mesmo conseguir tornar-se representativa quando todos nos unirmos em torno desta causa. Agora, por exemplo, estamos precisando de alguém que doe seu tempo para fazer nosso website, disse Rosane.