Pizzolato é preso na Itália

0
649

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi preso na quarta-feira (4) na Itália, mas talvez espere em casa o pedido de extradição para o Brasil ser aprovado pela justiça italiana. Assim que foi preso, seu advogado, Lorenzo Bergami, afirmou que pedirá para que seu cliente possa responder ao processo de extradição em prisão domiciliar. O pedido será feito nesta sexta (7), durante uma audiência marcada para as 11h sobre o caso na Corte de Apelações de Bolonha.

Pizzolato, que foi preso portando documentos falsos, pode também responder pelo crime de falsidade ideológica, o que lhe pode render uma pena de até três anos de reclusão na Itália. O processo de extradição de Pizzolato, condenado a 12 anos de prisão no julgamento do mensalão, ainda será feito pelo Brasil. Depende de pedido do Supremo Tribunal Federal e análise do Ministério da Justiça, que formaliza a ação junto à Justiça italiana.

Ainda na quinta-feira (5), advogado disse que Pizzolato rejeita a extradição para o Brasil e que irão recorrer do pedido de extradição. Se o pedido de prisão domiciliar for aceito, Pizzolato deve ficar na casa de seu sobrinho em Maranello.
O ex-diretor de Marketing do BB Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.