Presidente dos EUA entra em rota de colisão como Vaticano

0
585

Ato de Obama com relação às pesquisas com células-tronco motivou críticas da Igreja Católica

Ao suspender as restrições ao uso de verbas federais para pesquisas com células-tronco embrionárias, o presidente dos EUA, Barack Obama, deixou insatisfeitos os católicos norte-americanos e o Papa Bento 16. Líderes do Vaticano e da Igreja nos EUA e na Itália criticaram a decisão, assinada esta semana.

A medida assinada por Obama reverte e repudia as restrições adotadas pelo ex-presidente George W. Bush e permite que laboratórios de todo o país comecem a trabalhar com esse tipo de células-tronco, espécie de “manual de instruções” capaz de dar origem a qualquer tipo de tecido ou órgão. Os cientistas esperam que as pesquisas levem à cura de diversas doenças degenerativas, e dizem que as pesquisas com células embrionárias são mais promissoras, embora tenha havido recentes avanços no uso de células adultas.
Já os grupos religiosos se opõem ao uso de embriões por considerar isso uma forma de aborto. O cardeal Justin Rigali, presidente do comitê de atividades pró-vida da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA, qualificou a decisão de Obama como “uma triste vitória da política sobre a ciência e a ética”. “Esta ação é moralmente errada porque encoraja a destruição de vida humana inocente, tratando seres humanos vulneráveis como meros produtos a serem colhidos”, acrescentou.