Primeiro debate presidencial acontece hoje à noite e pode bater recorde de audiência

0
583

Segundo os especialistas, o primeiro debate entre Barack Obama e Mitt Romney no Colorado pode ser o mais visto da história

Os candidatos à presidência dos Estados Unidos, o atual mandatário, o democrata Barack Obama e seu rival, o republicano Mitt Romney, se enfrentam esta quarta-feira à noite (3) no primeiro dos três debates televisionados, que serão vistos por milhões de telespectadores dentro e fora dos Estados Unidos. E que sem dúvida definirão quem será o próximo ocupante da Casa Branca.

O primeiro debate presidencial será em Denver, Colorado, e transmitido ao vivo a partir das 8:30PM. Os debates são considerados, na opinião dos especialistas, como a última e definitiva vitrine para que os candidatos não só ‘amarrem” os votos já conseguidos na mais disputada e cara campanha presidencial da história como também para conquistar o voto indeciso que inclinará a balança na terça-feira, 6 de novembro.

Os debates presidenciais televisionados parecem um combate pelo título dos pesos pesados, no qual um lutador desafiante tenta ganhar por nocaute ou por pontos do campeão, comparou a Agência France Presse (AFP). E acrescentou que pelo menos esta é a intenção e a última e maior esperança de Romney “para salvar sua campanha”.

Antes da Convenção Nacional Republicana, realizada em 29 de agosto em Tampa, na Flórida, Obama e Romney estavam virtualmente empatados. Depois da Convenção Nacional Democrata realizada em Charlotte, Carolina do Norte, uma semana depois, Obama começou a distanciar-se levemente, até o surgimento de um vídeo secreto no qual Romney aparece insultando os eleitores que apoiam Obama. O presidente aparece em alguns estados chave com uma vantagem de nove pontos, diferença que lhe permite, pelo menos até agora, sonhar com a reeleição.

Romney deve primeiro mostrar aos votantes que tem o talento e a disposição necessárias para ser presidente em um mundo perigoso e incerto, e exibir uma personalidade que não corra o risco de perder a calma durante os quatro anos de mandato na Casa Branca.

Obama apelará para sua experiência, seu carisma, mostrará os sucessos de sua administração (entre eles ter detido a recessão que começou no final de 2008, a aprovação da reforma de saúde e o fim da guerra no Iraque, a geração de um maior número de empregos do que aqueles perdidos no ano em que iniciou a crise financeira, entre outros), e as mudanças que poderão ser concretizados com um segundo mandato.

Voto latino

Não restam dúvidas: o voto latino inclinará a balança em 6 de novembro. O número de votantes latinos registrados subiu para 23,7 milhões e, segundo a última pesquisa Imprimedia/Latino Decisions, Romney apenas contaria com 23% destes votos diante dos 76% do presidente.
Mas nem todos os registrados irão às urnas. As projeções indicam que participarão pouco mais de 12,2 milhões. Em 2008, dos 19 milhões registrados participaram 10,7 milhões e destes 6,7 milhões se inclinaram por Obama.

A amostragem revelou ainda que nas últimas quatro semanas Romney detinha entre 29% e 31% dos votos latinos a nível nacional. A queda afasta o ex-governador de Massachusetts de seu próprio objetivo de conquistar cerca de 38% dos votos latinos, um segmento dos eleitores que pode ser decisivo nos estados chave como Colorado, Flórida ou Nevada.

Mas “agora tudo indica que a vantagem de Obama entre os latinos está crescendo”, à medida que se aproximam as datas dos comícios, explicou a AFP.