Quem substituirá Janet Napolitano?

0
838

Vários nomes são especulados para substituir a atual secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano

A secretária de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês), Janet Napolitano, anunciou na semana passada que deixará o cargo para comandar o sistema da Universidade da Califórnia, deixando o presidente Obama com a incumbência de preencher uma posição nevrálgica no momento em que se discute a implantação de uma reforma abrangente de imigração.

Napolitano pretende sair em setembro, dando a Obama mais de um mês para meditar sobre sua opções para substituí-la. Jay Carney, secretário de Imprensa da Casa Branca, não estabeleceu uma data para anunciar o substituto e nenhuma indicação de quem está disputando o cargo.

Os republicanos do Senado, que dificultaram a aprovação dos nomes escolhidos para integrar o gabinete do presidente este ano, provavelmente exigirão alguém que prometa ser mais duro na segurança da fronteira — um assunto que muitos legisladores do GOP assumiram como a principal prioridade nas conversas sobre imigração.

O jornal The Washington Post especulou quem pode ser o escolhido de Obama, se ele seguir algumas opções lógicas para substituir Janet Napolitano:

Dentro do governo

W. Craig Fugate: Ele comanda o Órgão Federal de Gerenciamento de Emergência (FEMA, na sigla em inglês) e desempenhou papéis similares para dois governadores republicanos da Flórida. A Casa Branca tem boa imagem de Fugate e creditou a ele a melhoria da FEMA desde o furacão Katrina em 2005.

John S. Pistole: Atual chefe da Administração de Segurança no Transporte (TSA, na sigla em inglês) e ex-vice-diretor do FBI. Ele tem boas relações com o Congresso, mas muitos parlamentares criticaram seu recente plano de permitir pequenas facas a bordo de aviões pela primeira vez desde os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001— plano depois abandonado por ele.

Rand Beers: Atual vice de Napolitano, é um funcionário civil de carreira com mais de 30 anos de experiência nos governos democratas e republicanos e é considerado um especialista em contraterrorismo. Ele demitiu-se do do Conselho Nacional de Segurança de George W. Bush cinco dias antes do início da guerra no Iraque em 2003, argumentando que o conflito prejudicaria a capacidade da nação em combater o al-Qaeda.

Alejandro Mayorkas: Recentemente nomeado vice-secretário do DHS, ele comandou a divisão de Serviços de Imigração e Cidadania do departamento. Nascido em Cuba, seria mais um membro hispânico do gabinete de Obama, se vier a ser indicado e confirmado.
Richard Danzig: Ex-secretário da Marinha no governo do presidente Bill Clinton e membro da equipe de transição do primeiro mandato de Obama, é conhecido por seu pragmatismo progressivo.

Externos

Thad W. Allen: Almirante aposentado da Guarda Costeira que ajudou a liderar a resposta federal ao vazamento de óleo no Golfo do México em 2010. Ele foi apontado para assumir o comando da Guarda Costeira durante o governo de George W. Bush..

Raymond W. Kelly: Serviu durante os últimos 11 anos como comissário de polícia da cidade de New York, angariando reputação nacional por ter criado o primeiro bureau de contra-terrorismo municipal. Ele recusou a chance de se tornar diretor do FBI durante a administração Clinton, mas atuou como comissário do Serviço Alfandegário dos EUA de 1998 até 2001. O senador Charles Schumer (D-N.Y.) já recomendou Kelly como substituto de Napolitano.

Bill Bratton: Serviu como chefe de polícia dos departamentos policiais de Boston, New York e Los Angeles. É descrito como um especialista internacionalmente reconhecido em assuntos policiais e considerado uma escolha potencial para o gabinete neste segundo mandato.

Os principais republicanos do Comitê de Segurança Nacional da Câmara expressaram simpatia a todos os três candidatos externos para substituir Napolitano.

“Qualquer um destes três ganharia bastante respeito dos republicanos da Câmara e poderia nos ajudar a impulsionar a adoção de medidas de segurança na fronteira”, disse Michael McCaul (R-Tex.), presidente do comitê, durante entrevista concedida à Fox News.
A Câmara não vota para confirmar as escolhas do gabinete, mas um apoio de alguém como McCaul seria um sinal de que os republicanos do Senado ofereceriam pouca resitência à indicação.

Parlamentares

Susan Collins: Republicana moderada do Maine e membro de destaque do Comitê de Segurança Naiconal do Senado, conhece o assunto e não enfrentaria oposição dos senadores do GOP. Ela tem um relacionamento positivo com Obama, tendo encontrado com ele em pessoa na Casa Branca e manifestado seu apoio à sua primeira indicação da para a Suprema Corte, a juíza Sonya Sotomayor.

Joe Lieberman: Ex-senador de Connecticut que se alinhou aos republicanos em vários temas de segurança nacional, ele passou a maior parte de sua carreira como democrata, mas terminou como independente. Lieberman poderia ser uma escolha fácil de ser aprovada por membros dos dois partidos.