Recessão atinge, de forma severa, os trabalhadores latinos

0
384

Número de desempregados nesta comunidade aumentou quase 3% em um ano

Uma pesquisa confirmou o que todos os imigrantes latinos já tinham sentido na pele: a crise econômica tem causado especial impacto entre os hispânicos. Um censo conduzido pelo Pew Hispanic Center mostrou que a taxa de desemprego entre profissionais desta comunidade saltou de 5,1% para 8% de 2007 para 2008, levando-se em conta os números do último trimestre dos dois anos. No mesmo período, o índice referente ao desemprego de um modo geral nos Estados Unidos aumentou smente dois pontos percentuais, de 4,6% para 6,6%.

O censo mostrou ainda que apenas 64,7% dos latinos a partir de 16 anos de idade estão empregados, contra 67,5% de 2007. A recessão também tem sido cruel com os cidadãos negros (african-americans): o desemprego neste grupo está em 11,5%.

Na pesquisa do Centro Hispânico Pew não foi possível fazer a distinção entre imigrantes latinos com status regular e indocumentados, mas as estimativas apontam que este último contingente representa 5% de toda a força de trabalho no país e pelo menos um-terço dos estrangeiros em idade ativa. Este percentual cresce em alguns setores de trabalho, como na construção civil, onde os latinos indocumentados são mais de 12% do total, sendo que o México responde por cerca de 55% deles.
Eis alguns dados da pesquisa:

– O número de pessoas desempregadas nos Estados Unidos aumentou em mais de três milhões entre 2007 e 2008, um aumento de 44,3%. A comunidade latina foi a mais atingida, já que 329 mil pessoas de origem hispânica perderam seus empregos neste período, um aumento de 49,1%.

–  A economia americana empregou no quarto trimestre de 2008 dois milhões de profissionais a menos do que na mesma época, em 2007. O índice de latinos empregados neste período foi reduzido em 292 mil e o número de imigrantes de origem hispânica na força de trabalho reduziu em pelo 56 mil profissionais.