Reforma Já

0
638

Indocumentados fazem passeata para lembrar ao país a necessidade de mudanças na lei de imigração

Com o centro político americano concentrado na situação econômica e na reforma do sistema de saúde, as mudanças na lei de imigração ficaram em segundo plano. Para trazer de volta à tona o debate que interessa de perto a mais de 12 milhões de indocumentados no país, centenas de ativistas marcharam em várias cidades americanas no feriado do Dia do Trabalho (Labor Day) para pedir mudanças imediatas na legislação. A principal manifestação aconteceu em Chicago, com a participação de duas mil pessoas.

Na marcha na área de Downtown Chicago, os imigrantes pediram que Obama acabe imediatamente com as deportações que dividem as famílias e promova o debate para legalização dos trabalhadores indocumentados. O grupo na manifestação era menor do que em outros anos, mas contou com representantes de vários países, inclusives brasileiros.

Entre os manifestantes em Chicago estava Rosa Perez of Pilsen, cujo marido foi deportado em fevereiro deste ano, ao dar entrada no pedido de Green Card. Ela contou que, desde então, tem que cuidar sozinha dos seis filhos do casal – o mais velho, inclusive, já está trabalhando para ajudar no orçamento familiar, com apenas 17 anos de idade. “O sistema está falido, é muito desumano”, disse Beatriz Sandoval, advogada de imigração, lembrando do grande número de jovens deportados.

A ideia dos ativistas é organizar uma passeata em Washington DC no domingo, dia 13 de setembro.