Reforma reduzirá total de indocumentados

0
399

A baixa seria entre um terço e a metade da quantidade atual

Da redação com AP – A abrangente legislação imigratória aprovada pelo Senado reduzirá a imigração sem autorização legal para os Estados Unidos entre um terço e metade a mais em comparação à lei atual, indicou o Gabinete de Orçamento do Congresso (CBO, na sigla em inglês).

Essa redução é notavelmente maior do que a CBO divulgou em relação a uma versão anterior do projeto de lei aprovado pela Comissão Judiciária do Senado, que reduziria a imigração em status irregular a somente 25 por cento.

Parcialmente em resposta às conclusões anteriores, os senadores concordaram em aumentar de forma notável a segurança na fronteira no projeto de lei e adotar medidas contra os imigrantes que permanecem em território americano mais tempo do que o permitido por seus vistos. Essas mudanças ajudaram para que o projeto fosse aprovado na semana passada no Senado, controlado pelos democratas, por maioria bipartidária de 68-32. O projeto passou agora para a Câmara de Representantes, onde encara um futuro incerto.

Redução de déficit orçamentário

O CBO disse ainda que, apesar de gastar $36 bilhões a mais na segurança da fronteira como havia ocorrido com as versões anteriores do projeto de lei, a legislação reduzirá o déficit orçamentário em $158 bilhões em 10 anos e em $685 bilhões na década seguinte. Os impostos pagos pelos novos residentes com situação legal superarão os novos gastos em benefícios governamentais e outros custos, conforme o projeto de lei.

A lei duplicará o número de agentes de fronteira ao longo da fronteira com México, ao mesmo tempo em que pede a construção de centenas de milhas de vala, além de exigir das empresas que comprovem a situação legal de seus empregados. Cerca de 11 milhões de imigrantes já moram ilegalmente nos Estados Unidos e poderão obter a cidadania em 13 anos, se pagarem multas e impostos e preencherem certos requisitos. Novos e mais amplos programas de vistos para trabalhadores permitirão a milhares de novos trabalhadores entrar no país a fim de ocupar vagas em empresas de alta tecnologia e de trabalho no campo.

Conforme o projeto de lei aprovado, o relatório descobriu que haverá nos próximos 10 anos cerca de 2.4 milhões menos de imigrantes que entram no país de forma irregular ou fiquem mais tempo do que o permitido por seus vistos, diante da situação sob a legislação atual