Remessa ou lavagem de dinheiro?

0
712

Cesar Augusto Gomes

Basta uma remessa de dinheiro irregular e pronto.

Você estará sendo usado por um esquema criminoso conhecido como “lavagem de dinheiro”, que tem como objetivo esconder das autoridades o dinheiro sujo obtido no Brasil com o tráfico de drogas e de armas, a corrupção e a sonegação de impostos.

Remessas irregulares são ferramentas para lavagem de dinheiro

O maior desafio de quem obtém dinheiro com o crime é usá-lo sem ser descoberto pelas autoridades.

Atualmente, uma das formas mais utilizadas pelos criminosos é transferência desse dinheiro sujo para o exterior. Quem se encarrega de fazer o serviço são outros criminosos, conhecidos como “doleiros”.

Na prática, é o crime alimentando o crime.

O esquema é o seguinte:

O dinheiro dos criminosos é utilizado pelos doleiros para pagar os beneficiários de remessas de dinheiro no Brasil. É isso mesmo, sem que você saiba, dinheiro sujo pode estar sendo depositado na conta da pessoa para quem você manda uma remessa.

E, aqui no exterior, pessoas ou empresas de remessas de dinheiro irregulares que desenvolvem o esquema em parceria com doleiros repassam o dinheiro da remessa do imigrante para outras contas fora do Brasil.

Esse esquema é considerado crime na maior parte dos países, inclusive no Brasil e nos Estados Unidos, e as autoridades oficiais estão atentas. No último mês de dezembro, seis pessoas foram presas pela Polícia Civil no Rio de Janeiro durante a operação “conta encerrada” e nos EUA mais uma empresa de remessa de dinheiro teve suspensa a licença estadual para operar.

No Brasil, somente instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central podem processar remessas e quando o pagamento ocorre por meio de crédito em conta corrente é possível que o beneficiário da remessa identifique no extrato da conta a instituição que fez o depósito. 
Por isso, quando você for enviar dinheiro para o Brasil, pergunte ao representante da empresa de remessa o nome da instituição financeira que irá efetuar o pagamento. Esse é um direito que você tem. Depois, peça para a pessoa para quem você mandar o dinheiro confirmar a informação no extrato ou no banco em que tem conta.

Não aceite, em hipótese alguma, que a remessa seja paga para o beneficiário por meio de depósito em “dinheiro vivo”, sem que haja a identificação de quem depositou. Só aceite depósito em cheque se o mesmo for emitido por uma instituição financeira.

O imigrante brasileiro trabalha muito, ganha a vida honestamente e não pode ser usado por criminosos sem saber.

Fique bem longe de problemas e ajude o Brasil a vencer a guerra contra a violência, o tráfico de drogas e de armas e a corrupção.


*Colaboração de Cesar Augusto Gomes, da agência B2B, com informações do jornal Valor Econômico